Na manhã desta terça-feira (2), uma arma foi furtada momentos antes da abertura do evento Laad Defence & Security, no Rio Centro, Rio de Janeiro. O evento é conhecido como uma das maiores feiras da área de segurança e defesa. No local estavam presentes o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, e o prefeito da cidade, Marcelo Crivella.

Conforme informações da assessoria do evento, a arma furtada fazia parte da estande da fábrica Beretta Defense Technologies.

Publicidade
Publicidade

O modelo da arma era o APX Compact, de 9 mm. Segundo informações da Agência Brasil, o momento do furto foi quando as autoridades políticas estavam no local do evento.

Segundo a feira, o modelo que foi furtado custa em torno de 400 euros. No entanto, as armas apresentadas estão sem percursor, elemento que possibilita atirar. Posteriormente, por volta do meio-dia, a empresa recolheu todas as armas que estavam sendo apresentadas na feira. Conforme nota da Laad, as autoridades militares, que são responsáveis pelo licenciamento das armas, foram chamadas até o local e rapidamente compareceram. A nota evidenciou que a arma não é funcional, ou seja, não é possível ser utilizada.

Posse de arma e governo Bolsonaro

Nesta última segunda-feira (1), Bolsonaro criticou a lei do desarmamento através de publicação na sua rede social Instagram.

O presidente defendeu que deve haver "liberdade" para que as pessoas possam utilizar as armas. Contudo, evidenciou na postagem o seguinte: "o que torna uma arma nociva depende 100% das intenções de quem a possui". Na imagem, Bolsonaro aparece com uma arma.

Segundo informações do portal G1, foi questionado se o presidente tirou a foto durante viagem a Israel.

Publicidade

No entanto, o Palácio do Planalto respondeu que não comentaria nada a esse respeito. O portal evidenciou que a roupa utilizada pelo presidente na ocasião da foto é mesma em que ele utilizou durante agendas públicas na última segunda-feira, em Jerusalém.

No início deste ano, Bolsonaro assinou decreto que facilita o porte de arma no Brasil. A assinatura ocorreu 15 dias após assumir o cargo na presidência. A medida foi uma de suas promessas de campanha eleitoral.

Conforme o decreto, cidadãos de área urbana ou rural têm o direito de ter uma arma de fogo em casa. No entanto, devem seguir todos os requisitos propostos após exame da Polícia Federal.

Leia tudo