O ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República, general Santos Cruz, foi entrevistado pelo jornalista Roberto D’Ávila, no programa "Conexão Roberto D'Ávila", da GloboNews, nesta última segunda-feira (1º). Recentemente, Santos Cruz recebeu ataques vindos do escritor Olavo de Carvalho. Durante a entrevista, o general alfinetou o escritor dizendo que ele teria uma personalidade histérica.

Durante a entrevista, ele evitou polemizar o tema de confusão com o escritor. Contudo, declarou que é preciso ter muito cuidado: "a gente tem de tomar muito cuidado quando está lidando com uma personalidade histérica".

No início desta semana, Olavo de Carvalho disse que o general Santos Cruz "simplesmente não presta". As críticas vieram complementadas com falas de que o ministro, segundo o escritor, trata Bolsonaro como um "jovem desmiolado".

Olavo avaliou que neste momento, o general ofende todos os brasileiros que nele depositaram confiança.

A polêmica entre os dois teve início após Santos Cruz dizer ao jornal Folha de S.Paulo que Olavo de Carvalho utiliza de expressões chulas e apresenta desequilíbrio. O escritor não gostou em nada da declaração e enfatizou que recentemente havia até elogiado o general, porém agora acredita que o ministro deve um pedido de desculpas.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Governo

Além do mais, o escritor chegou a dizer que está sendo alvo de uma campanha difamatória por parte de políticos e jornalistas e que nem mesmo uma equipe de cem advogados conseguiria lidar com a quantidade de processos que devem ser realizados contra os ataques que vem sofrendo.

Ditadura

Além de alfinetar o escritor, Santos Cruz comentou sobre a ditadura. O general disse ao jornalista Roberto D'Avila que não ocorreu golpe militar em 1964.

Entretanto, reconheceu que o longo regime de 20 anos seguiu com características de uma ditadura. Santos Cruz, porém, declarou que nem todas as ditaduras seriam iguais.

Além do mais, disse que a população e a imprensa apoiaram a deposição de João Goulart e enfatizou que a sociedade teve papel fundamental, já que as pessoas saíram às ruas para se manifestar.

O general Santos Cruz avaliou que o atual período "sempre distorce" através da questão ideológica dos fatos.

Dessa forma, relata que é necessário cada um tirar suas próprias conclusões, pois há sempre uma tentativa, segundo o general, de "massificar" os acontecimentos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo