Na manhã desta quarta-feira (4), o presidente Jair Bolsonaro se envolveu em mais uma polêmica com um líder mundial. Depois de ofender a primeira-dama da França, Brigitte Macron, agora foi a vez da ex-presidente do Chile Michelle Bachelet e também o pai dela.

Atualmente Bachelet é alta comissária da ONU para direitos humanos. Durante uma entrevista na sede das Nações Unidas em Genebra, ela criticou o Governo brasileiro e declarou que houve uma "redução do espaço cívico e democrático, caracterizado por ataques contra defensores dos direitos humanos, restrições impostas ao trabalho da sociedade civil".

Após esta crítica, o presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais para atacar a comissária de Direitos Humanos da ONU. Para Bolsonaro, Bachelet segue a linha do presidente da França, Emmanuel Macron, de "se intrometer nos assuntos internos e na soberania brasileira" e "investe contra o Brasil na agenda de direitos humanos (de bandidos), atacando nossos valorosos policiais civis e militares".

A postagem está acompanhada de uma imagem na qual Michelle está acompanhada de Cristina Kirchner e Dilma Rousseff. A foto é da posse do segundo mandato dela como presidente do Chile, em 2014.

Bolsonaro também declarou que o Chile "não é uma Cuba graças aos que tiveram coragem de dar um basta à esquerda em 1973".

"Entre esses comunistas o seu pai brigadeiro na época”, completou. O pai da comissária da ONU era general de brigada da Força Aérea chilena. Alberto Bachelet se opôs ao golpe militar dado por Augusto Pinochet. Ele foi preso e torturado pelo regime e morreu sob custódia, em fevereiro de 1974.

Direitos Humanos

Jair Bolsonaro foi cumprir a agenda em Anápolis (GO), e durante a saída do Palácio da Alvorada voltou a atacar Michelle Bachelet e seu pai.

Bolsonaro afirmou que a chilena "defende direitos humanos de vagabundos". Segundo o presidente, ela está acusando que ele não está punindo policiais e que eles estão matando muita gente no Brasil. O líder brasileiro falou também que quando tem gente que não tem o que fazer acaba indo para cadeira de Direitos Humanos da ONU.

Polêmicas

Este não é o primeiro ataque do presidente Jair Bolsonaro a um grande líder mundial. O presidente, por conta das críticas recebidas do líder francês Emmanuel Macron em relação às queimadas na Amazônia, respondeu a um comentário de um seguidor nas redes sociais. Na postagem era feita uma comparação entre Brigitte Macron e Michelle Bolsonaro. E o líder brasileiro respondeu: "não humilha cara.kkkkk". O fato gerou polêmica, e após a reunião do G7, Macron declarou que atitude de Bolsonaro foi "extraordinariamente desrespeitosa". Ele também manifestou seu desejo de que os brasileiros tenham em breve um presidente à altura do cargo.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!