Parece que as brigas internas do partido do presidente Jair Bolsonaro (PSL) não vão terminar tão cedo. A ala do PSL (Partido Social Liberal) ligada ao presidente da legenda, Luciano Bivar, oficializou nesta última quarta-feira (23) à Executiva Nacional um pedido de expulsão do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que foi nomeado recentemente líder do partido na Câmara.

Essa representação foi assinada pelo líder do PSL no Senado, Major Olímpio (PSL-SP), e também pelos deputados que fazem parte da bancada paulista Abou Anni, Coronel Tadeu, Junior Bozzella e Joice Hasselmann.

Nesse documento, ao qual o jornal Folha de S.Paulo teve acesso, os aliados de Bivar pedem que a Direção Estadual do PSL em São Paulo, sob o comando de Eduardo, seja destituída.

Segundo matéria da Folha de S.Paulo, essa briga contra o deputado federal acontece em um momento no qual a disputa interna na legenda vai além de uma esfera mais partidária. As alas partem para uma briga jurídica onde o pano de fundo é a legenda tentar manter o controle do fundo partidário, que no fim deste ano (2019) pode chegar ao valor de R$ 110 milhões.

De acordo com o processo, Eduardo Bolsonaro tem um prazo de até cinco dias para apresentar sua defesa, "sob pena de confissão e revelia, considerando-se verdadeiros os fatos".

No processo há uma indicação de que a disputa de poder com a família do presidente acontece há pelo menos um ano. A ala alinhada ao presidente da legenda acusa o deputado Eduardo Bolsonaro de ter uma atitude de poder, ao colocar os seus interesses pessoais acima dos interesses do partido.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lava Jato Jair Bolsonaro

Segundo os parlamentares, Eduardo tem mostrado algumas atitudes antidemocráticas à frente do partido em São Paulo. A ideia do deputado, segundo os parlamentares, é desmontar a sigla no estado. Segundo os congressistas, Eduardo derrubou de maneira ilegal mais de 200 diretórios definitivos e comissões municipais em todo o território de São Paulo.

No documento está elencado uma série de casos que foram acontecendo desde 2018 em muitas cidades de São Paulo e que já foi levado até a Direção Nacional do PSL.

Entre as cidades estão Avaré, São José do Rio Preto e Araraquara. Segundo a petição, as reclamações partiram de filiados que já faziam parte do PSL antes que a família Bolsonaro entrasse no partido.

Segundo a representação, Eduardo Bolsonaro já deu muitas declarações por meio público na imprensa de que está construindo um partido com o seu grupo.

A liminar dos apoiadores do clã Bolsonaro

Nessa ultima terça-feira (22), o PSL abriu um processo para suspender 19 parlamentares alinhados ao presidente Bolsonaro.

Porém, pouco depois da abertura desse processo, os apoiadores de Bolsonaro conseguiram uma liminar –uma decisão provisória– para barrar o andamento desse caso.

A ordem do juiz Alex Costa de Oliveira, que atua no TJ-DF (Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios), foi dada horas depois de a direção da legenda formar o Conselho de Ética, órgão responsável pelos processos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo