O governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB), tomou algumas medidas extremas de segurança após receber algumas ameaças. De acordo com informações cedidas pelo próprio governador, essas mensagens de ameaça aconteceram após o mesmo se manifestar contra a posição do presidente da República, Jair Bolsonaro.

João Doria também recebeu ameaças, sendo informado que teria a sua residência invadida. Consequentemente, o governador pediu a colaboração da Polícia Militar, onde ficaram presentes algumas viaturas ao entorno de sua residência para reforçar a segurança.

Até o presente momento, nenhuma invasão foi registrada na casa do governador.

De acordo com o governo, há indícios de que os ataques teriam sido articulados pelo “gabinete do ódio”, liderado pelo filho do presidente, Carlos Bolsonaro.

Sobre o respectivo caso, Bolsonaro ainda não se pronunciou e nem deu indícios de quem poderia estar planejando isso. A Polícia Militar do estado de São Paulo já está investigando o caso, com o intuito de encontrar os responsáveis pelas ameaças. Até o fechamento dessa matéria, ninguém foi identificado pelo respectivo crime.

Governador de SP fala de Bolsonaro

Na última quarta-feira (25), o atual governador de São Paulo questionou o posicionamento de Jair Bolsonaro durante uma reunião com outros políticos após o presidente dizer que o país não deveria parar por uma simples ''gripezinha'' ou ''resfriadinho''

No início do seu discurso, o governador alfinetou Bolsonaro, informando que ele deveria dar exemplo e não dividir o país em meio o surto da covid-19.

“Na condição de cidadão, de brasileiro, e também de governador início lamentando os termos do seu pronunciamento à Nação. O senhor como presidente da república tem que dar o exemplo. Tem que ser mandatário para comandar, para dirigir, liderar o país e não para dividir”, questionou João Doria.

Carlos Bolsonaro

Pelas redes sociais, Carlos Bolsonaro, filho do presidente se mostrou contra a posição do governador.

Carlos disse que Doria estaria manipulando a impressa, dizendo que nenhuma ameaça partiu do "gabinete de ódio".

Após essas brigas envolvendo do atual governador de São Paulo e o atual presidente, muitos internautas comentaram sobre o fato nas redes sociais. Muitos informaram que esse não seria o momento de focar em outros assuntos, pois o país deveria dar total atenção à covid-19, vírus esse que está deixando milhares de pessoas mortas.

Até o presente momento, o Brasil registrou 77 mortes e 2.915 casos confirmados. A maioria das mortes está nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Em ambos o estados, medidas extremas já foram tomadas para evitar a proliferação do vírus, tendo como exemplo o fechamento de todos os comércios.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!