Durante a manhã da última terça-feira (21), o presidente da República, Jair bolsonaro (sem partido), concedeu uma breve entrevista coletiva para alguns jornalistas que estavam na saída do Palácio da Alvorada. Questionado por alguns jornalistas a respeito do avanço da doença, Bolsonaro disse desejar o fim do isolamento. "Eu espero que essa semana de quarentena seja a última. A maioria da população brasileira não aguenta ficar em casa, porque a geladeira está vazia", argumentou o chefe do Executivo.

O presidente do Brasil também informou que a evolução do novo coronavírus é prejudicial para toda a população.

Para ele, cerca de 70% das pessoas serão contaminadas com o vírus. "Não adianta querer correr disso, é uma verdade. Estão com medo da verdade?", questionou o presidente.

Presidente da República e posicionamento

Nas últimas semanas, o presidente da República está dando bastante ênfase à pandemia do novo coronavírus. Indo contrário aos demais líderes mundiais, Bolsonaro participou recentemente de uma coletiva de imprensa, quando citou que nos próximos dias as escolas militarizadas serão as primeiras a retomarem o ensino no país durante quarentena.

Além disso, Bolsonaro continua afirmando a importância das atividades profissionais no país e também a reabertura dos comércios para alavancar a economia nesse período de pandemia.

Para o atual chefe do Executivo, as atividades profissionais não podem parar o Brasil.

Bolsonaro e problemas com parlamentares

Ao ter um posicionamento diferenciado a respeito do novo coronavírus, muitos parlamentares estão usando as redes sociais para coibir as intenções de Bolsonaro. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) usou o Twitter recentemente para criticar o atual chefe do Executivo.

Para o petista, Bolsonaro deveria se preocupar com a população brasileira e não com a decadência da economia no país. Lula apoia o isolamento social e também a quarentena. Para ele, essa é uma medida fundamental para coibir o avanço do novo coronavírus no país.

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) usou suas redes sociais para se posicionar sobre os problemas do país envolvendo o novo coronavírus.

Em uma de suas últimas postagens no Twitter, a parlamentar, que era aliada ao presidente da República, informou que as medidas que ele vem usando não são eficazes para combater a doença. Para Joice, se Bolsonaro conseguir retomar parte das atividades profissionais no país durante essa quarentena, muitas outras mortes poderão surgir num futuro próximo.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!