Neste último domingo (7), com o entorno do Comando Militar (CMS) que foi isolado pela Brigada Militar, os manifestantes que estavam no local contra o presidente Jair Bolsonaro acabaram se manifestando na Esquina Democrática, que fica localizada no centro da cidade de Porto Alegre. O encontro dos manifestantes aconteceu pela tarde deste último domingo, no centro da cidade, e o objetivo era protestar contra o governo comandando por Bolsonaro.

Entre o grupo de pessoas, estavam presentes ativistas políticos, estudantes e membros de torcidas organizadas, que caminharam pelas ruas da região do centro da cidade e terminaram a manifestação no Largo Zumbi dos Palmares, que fica na Cidade Baixa.

Durante o encontro, enquanto pintavam faixas e preparavam cartazes para seguir com a manifestação, eles acabaram sendo alvos de ovos que foram jogados da janela de um apartamento localizado na avenida Borges Medeiros.

Manifestações

Este foi o quinto ato seguido que aconteceu aos domingos, em contraponto aos manifestantes simpatizantes do governo de Bolsonaro que tem acontecido em frente o CMS. Neste último domingo, no entanto, não aconteceu nenhuma mobilização no local para apoiar o governo do presidente brasileiro. Por mais que o momento fosse de calmaria no local, o policiamento na área foi reforçado, e este foi o maior emprego efetivo da BM até o momento em relação às manifestações. O 9.º Batalhão de Polícia Militar, que é o responsável pelo centro, não informou a respeito do tamanho do contingente de pessoas no momento.

A manifestação contra o presidente brasileiro saiu da Esquina Democrática em torno das 14h30, e o grupo que se mostrava animado marcharam pela cidade batendo palmas e panelas. O grupo em questão era estendido por cerca de três quarteirões da localidade. Eles seguiram subido pela avenida Borges Medeiros, e a todo momento foram escoltados pela polícia, que acompanhou todos os movimentos dos manifestantes de perto durante toda a caminhada que fizeram.

Ao longo de todo o caminho que seguiram na manifestação, eles recebiam o apoio de pessoas que apareciam nas sacadas de prédios demonstrando apoiar a causa. Em meio à marcha, o movimento acabou se deparando com outro movimento, o Juntos, que foi organizado para ser um ato antirracismo, que estava marcado para sair a poucas quadras do local onde aconteceu o ato contra o governo de Bolsonaro.

A manifestação, no entanto, contou com um momento tenso, em que um homem apareceu ao local e mostrou o que parecia uma arma. Ele apontou o artefato para os manifestantes que estavam no local depois de ter acontecido uma discussão entre eles. As pessoas que participavam dos protestos em questão colaram alguns adesivos com os dizeres “Fora Bolsonaro” na fachada de residências do local.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!