Luiz Henrique Mandetta (DEM), médico e ex-ministro da Saúde, demitido após conflitos com o presidente Jair Bolsonaro, foi questionado em entrevista à edição desta última segunda-feira (12) do programa "Roda Viva", da TV Cultura, quem ele apoiaria nas Eleições presidenciais de 2022.

O ex-ministro não foi claro na sua resposta, evitando citar nomes. Contudo, ao ser questionado sobre Sergio Moro, disse que o ex-juiz e ex-ministro da Justiça "tem uma visão, ele combateu um combate duro, forças duras" e foi enfático ao dizer que "o Brasil precisa dele [Moro]".

Após a demissão de Mandetta do Ministério da Saúde no auge da pandemia, ele admitiu a possibilidade de disputar um cargo público nas eleições de 2022 e disse que pretende lutar pelas coisas que acredita, seja se candidatando a presidente, seja vice-presidente, mas lembrou que em 2022 tantos outros cargos estarão em disputa.

Mandetta e Moro juntos em 2022

Após informações de que a esposa de Sergio Moro, a advogada Rosângela Moro, deseja se mudar com sua família para o exterior, onde Moro poderia atuar como professor de direito e assim se afastar dos embates políticos, Henrique Mandetta, aproveitando a repercussão do caso, saiu em defesa do ex-juiz da Lava Jato no programa "Roda Viva" e não demorou a ser questionado sobre uma possível formação de chapa para as eleições presidenciais de 2022 com Moro.

Mandetta já havia cogitado a possibilidade de ter Moro como vice em uma chapa para concorrer à presidência. Isso porque, segundo alguns interlocutores, Mandetta tem mais experiência política que Moro, portanto o ex-ministro da Saúde tem mais chances de liderar uma corrida eleitoral.

"Em 2022 eu vou estar em praça pública lutando por algo que eu acredito [...] como candidato ou carregando o porta-estandarte do candidato em que eu acreditar. Mas que eu vou participar ativamente das eleições, eu vou", disse Mandetta em julho deste ano, completando que toparia uma formação de chapa com Moro, desde que ele como candidato à presidente e Moro como vice.

Elogios a Sergio Moro

Desde que Moro e Mandetta deixaram o governo era comum vê-los trocando acenos e elogios nas redes sociais. Mandetta chegou até a fazer uma comparação pelo que ambos passaram momentos antes e deixar o governo, que, segundo o próprio Mandetta, foi diferente, recusando-se a admitir que foi alvo de fritura.

Na entrevista que concedeu ao "Roda Viva", no último dia 12, além de falar das dificuldades que encontrou ao liderar o combate a Covid-19, fez menções a Sergio Moro, dizendo que o ex-juiz deveria ficar no Brasil, por ter certeza que ele tem muito a oferecer ao país e que, agora, Sergio Moro, após provar como é a vida pública, "está mais maduro", insinuando que deseja se aliar ao ex-juiz da Lava Jato em uma possível disputa eleitoral.

Siga a página Lava Jato
Seguir
Siga a página Sergio Moro
Seguir
Siga a página Eleições
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!