O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em sua última live semanal, não teve a mínima cerimônia em usar o espaço para atuar como cabo eleitoral de alguns candidatos nas Eleições municipais deste ano.

Dentre os agraciados com o apoio presidencial estavam o atual prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, que tenta a reeleição, e também o candidato a prefeito pela cidade de São Paulo Celso Russomano. Ambos os políticos fazem parte do partido Republicanos. O presidente Bolsonaro também pediu votos para políticos de outras cidades.

Carlos Bolsonaro

O morador do Palácio da Alvorada pareceu também se sentir bem à vontade para pedir votos para um de seus filhos, o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (Republicanos).

O filho 02 de Jair Bolsonaro irá tentar a reeleição ao cargo.

Bolsonaro parece desconhecer quais são as atribuições de um vereador. Ao pedir votos para o próprio filho, o mandatário afirmou que Carlos o ajudaria bastante na presidência da República. Jair só não esclareceu como.

Pela lógica do presidente, Carlos Bolsonaro "leva pancada da imprensa" porque ajuda o pai em Brasília. "Se ele me atrapalhasse, não levaria pancada", disse Bolsonaro.

Em matéria publicada no UOL em junho, foi constatado que a baixa produtividade de Carlos Bolsonaro como vereador na cidade do Rio coincidiu com a temporada em que o 02 permaneceu mais tempo em Brasília.

Carlos Bolsonaro ganhou em 2020 uma sala no Palácio do Planalto, ainda que não exerça, de maneira oficial, nenhuma função no governo federal.

Desafetos

Além de pedir votos para seu filho e outros políticos, Bolsonaro também aproveitou a oportunidade para atacar políticos de esquerda. O presidente criticou o PCdoB e o governador do Maranhão, Flávio Dino, que faz parte do partido.

Como faz parte do seu estilo, o mandatário fez várias criticas sem apresentar dados.

"O Maranhão é o pior em quase todos os índices, e a culpa é de Dino pelo mau desempenho do estado", opinou Bolsonaro.

Segundo o que foi alegado por Bolsonaro, o que mais lhe foi pedido por maranhenses é que ele acabasse com o comunismo na região. Como se em algum tempo na história do país, o regime comunista tivesse sido implantado!

Bolsonaro também voltou suas críticas para a candidata Manuela D'Ávila, outra integrante do PCdoB. Manuela está na liderança das intenções de votos em Porto Alegre, no RS. Para Bolsonaro, ter uma candidata do partido é um problema, pois o PCdoB "cria problemas para a tradicional família brasileira", uma vez que é um partido de linha comunista.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Eleições
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!