Nunca antes na história deste país uma Mulher teve tantos votos. Em 2018, Joice Hasselmann (PSL) foi eleita deputada federal pelo estado de São Paulo com mais de um milhão de votos.

Há dois anos, a parlamentar do PSL deu uma entrevista ao site Universa em que cobria de elogios o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Bolsonaro era, naquela época, colega de partido da parlamentar de 42 anos e a tinha como grande aliada dentro do Governo.

À época, Joice declarou ao site que os principais alvos de suas críticas seriam a esquerda e o PT. A parlamentar estreante também declarou que não pouparia o movimento feminista, uma vez que alegou que o comportamento das feministas era "vexaminoso".

Sororidade

Curiosamente, foi justamente em um termo muito empregado no movimento feminista que Joice Hasselmann buscou apoio pelos ataques que começou a sofrer. Em tempo, sororidade quer dizer o apoio mútuo entre as mulheres.

No fim de 2019, a parlamentar rompeu com o governo de Jair Bolsonaro. A partir de então, foi alvo de diversos ataques em que ela era comparada com uma porca.

Em nova entrevista para o mesmo Universa, publicada na última segunda-feira (26), Joice Hasselmann admite que "mordeu a língua" e que agora entende que estava sendo alvo de machismo.

Ela foi questionada pelo site sobre o fato de que, ainda que estivesse sendo alvo de ataques machistas em 2019, na época em que houve uma divisão dentro do PSL, ela não encarava aquela situação como machismo, chegando até mesmo a dizer que aquilo era cafona e atacava, assim, seus críticos de volta.

Hasselmann então respondeu que tinha uma imagem sobre ela de que nada a abalava, então continuou recebendo os ataques e continuou revidando, até que chegou o momento em que seu corpo não aguentou mais a situação.

Ela afirmou que nunca acreditou em machismo e feminismo, mas acabou percebendo que estava sendo vítima de uma violência de gênero dentro da política.

Clã Bolsonaro

Assim como a deputada federal mudou sua opinião sobre o feminismo, bem como sua percepção sobre Jair Bolsonaro, que também se alterou.

Ela afirmou que não acreditava que Bolsonaro fosse machista, mas depois de conviver com o atual presidente, ela percebeu o machismo do chefe do executivo, segundo apontou Joice.

Filhos 01, 02 e 03

Se houve uma decepção com o comportamento de Jair Bolsonaro, a candidata à prefeitura de São Paulo afirmou que nunca teve afinidade com os filhos do presidente, que fazem parte da política.

A parlamentar detalhou quem é quem no clã Bolsonaro, em tom bastante crítico. Segundo Joice, Flávio seria o "ladrão"; Carlos, o "maluco", e Eduardo, o "megalomaníaco". O início das desavenças com Jair Bolsonaro se deu quando, em outubro de 2019, Bolsonaro quis destituir o deputado Delegado Waldir da liderança do PSL na Câmara para colocar em seu lugar o filho Eduardo Bolsonaro.

Siga a página Política
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!