Pode custar caro para o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) as críticas que ele fez à China. Deputados que se dedicam à relação Brasil-China irão pedir o afastamento do filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) da presidência da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara dos Deputados.

O documento deverá ser protocolado na próxima semana, quando retornarão as sessões plenárias na Câmara. As informações são do portal UOL.

As movimentações dos parlamentares ocorrem após Eduardo publicar em seu Twitter que o Governo federal apoia o programa Clean Network (Rede limpa), descrito pelo deputado como "aliança global para um 5G seguro, sem espionagem da China".

Resposta

A declaração não foi bem recebida pela China, e a embaixada do país no Brasil divulgou uma dura resposta. A nota dizia em "consequências negativas" pela declaração do deputado federal.

A deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB-AC) é quem está liderando as tratativas para o afastamento de Eduardo Bolsonaro.

A parlamentar preside o grupo parlamentar de apoio às relações entre as nações do Brics, o grupo composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Os parlamentares Fausto Pinato (PP-SP) e Daniel Almeida (PCdoB-BA) presidem, respectivamente, a frente parlamentar Brasil-China e a frente de Amizade Brasil-China. Ambos os parlamentares apoiam o pedido da colega Perpétua Almeida.

Agronegócio

O grupo de parlamentares está em busca do apoio da bancada ruralista. A China é uma das principais nações com quem o Brasil mantém relações comerciais.

Batalha de gigantes

A disputa entre a China e os Estados Unidos é uma batalha de gigantes para decidir quem irá liderar a próxima revolução da tecnologia.

Qual seria o posicionamento do Brasil numa disputa de tamanha grandiosidade?

"Brigando com todo mundo?", indagou a deputada Perpétua Almeida. A parlamentar do PCdoB complementou dizendo que "a nossa preocupação tem que ser com os interesses do Brasil".

Coronavírus

Por causa da pandemia do novo coronavírus, as comissões não estão em funcionamento na Câmara dos Deputados. Desta maneira, Eduardo Bolsonaro continua como presidente até que seja instalada uma nova comissão e seja eleito um novo presidente.

Rodrigo Maia

Por se tratar de uma situação inusitada, não existe uma exatidão de como deve ser o procedimento para a substituição do presidente.

Mas para haver uma análise no plenário da Câmara, o pedido precisará ser pautado pelo presidente da Câmara dos Deputados, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!