Os âncoras do programa da Rede Globo, o “Jornal Nacional”, William Bonner e Renata Vasconcellos vão responder judicialmente por terem supostamente desobedecido à Lei e publicado matéria falando sobre as investigações que receberam o codinome de “rachadinha”. A investigação tem como alvo o gabinete do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos- RJ), que foi denunciado pelo Ministério Público Federal por ter feito um suposto esquema de devolução de parte dos salários pagos a seus assessores.

Flávio Bolsonaro entrou com um pedido de proibição de divulgações sobre o caso e alegou que já havia se explicado na Justiça e que não tem nada para esconder.

Ele disse também que parte da imprensa estava criando matérias para difamá-lo e também ao presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido), o seu pai.

A juíza Cristina Serra Feijó da 33ª Vara Cível do Rio de Janeiro entendeu o pedido e proibiu a TV Globo de falar sobre o caso envolvendo o Flávio Bolsonaro no último dia 4 de setembro. A Rede Globo se manifestou e repudiou a decisão da juíza. A emissora disse que os jornalistas estavam sendo censurados e que tal atitude fere a liberdade de informar, uma vez que os desfechos das investigações sobre o caso da “rachadinha” é de interesse de todos.

Os advogados de Flávio Bolsonaro entraram com uma ação contra a TV Globo, na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, alegando que a emissora descumpriu a ordem proferida pela Justiça.

Então uma investigação foi feita a respeito da denúncia e foi concluído que houve desobediência, e os apresentadores foram intimados a depor na delegacia do Rio Janeiro.

A prestação de depoimentos está marcada para o próximo dia 9 de dezembro e caso os apresentadores se recusem a ir será enquadrado como desobediência e poderão ser penalizados com detenção de seis meses ou multas.

A emissora não comentou o assunto alegando que não fala sobre processos em andamento. Outra informação que não foi obtida é sobre qual reportagem a Globo divulgou após a ordem de proibição proferida pela Justiça que levou à suposta desobediência.

Santa Cruz e Marcelo Träsel criticam processo

A intimação feita pela Polícia Civil do Rio de Janeiro contra William Bonner e Renata Vasconcellos fez com que o presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) Felipe Santa Cruz e o presidente da Abraji, Marcelo Träsel comentassem sobre o assunto.

Os apresentadores vão responder por suposta desobediência judicial.

Santa Cruz disse por meio das redes sociais que o processo aberto contra os âncoras do “Jornal nacional” é uma afronta e mesmo sendo algo representativo contra a imprensa essas representatividades não podem ser ignoradas. Ele finalizou dizendo que há assinaturas que pesam, mas as leis previstas na Constituição pesam muito mais.

Por meio de uma nota, Marcelo Träsel disse que ficou surpreso pela forma como William Bonner e Renata Vasconcellos foram intimados, pois se tratam de duas pessoas que usam o meio profissional para divulgar produtos durante os comerciais.

Träsel ressaltou que existem formas de se intimar e não causar tanto alvoroço e assim proteger a imagem dos profissionais.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!