Um vereador, que cumpre pena por suspeita de fazer parte de um assalto que aconteceu no mês de dezembro de 2020, foi empossado para o cargo de vereador, na Câmara de Vereadores de Marizóppolis, do estado da Paraíba. A posse aconteceu nesta sexta-feira (1).

O vereador Fábio Júnior Alves de Andrade (PP) obteve 194 votos durante o processo eleitoral que aconteceu no dia 15 de novembro.

Fabio de Nego Chico, como é popularmente chamado, é suspeito de ter realizado um roubo na cidade de Sousa e segue preso desde 18 de dezembro.

Fábio, que tem 37 anos, é casado, não possuiu o ensino fundamental completo e se declarou como agricultor para o Tribunal de Justiça Eleitoral (TSE) quando foi realizar o registro da candidatura e está sendo eleito para seu primeiro mandato.

O advogado Abdon Lopes, que trabalha na defesa de Fábio, comentou um pouco sobre o assunto e disse que o vereador acompanhou a cerimônia e tomou posse na sala de videoconferência no Presídio de Sousa e que tudo ocorreu bem.

A defesa disse também que mesmo sendo uma situação diferente, aconteceu de forma tranquila, e ressaltou que Fábio abdicou do direito de falar na tribuna virtual.

Lopes falou que Fábio deixou a cerimônia assim que a palavra foi passada para os outros parlamentares presentes. A defesa falou que a posse tomada por seu cliente atende todas as exigências do TSE.

Uma declaração foi enviada ao diretor do presídio por se tratar de uma sessão mista e utilizar a sala da detenção para fazer a transmissão que foi exibida através das redes sociais.

Defesa comenta motivo que levou Fábio à prisão

Lopes disse que o vereador cumpre prisão temporária com duração de 30 dias e o seu trabalho foi prestar um serviço de logística para a realização da posse.

O advogado não quis falar sobre os detalhes do processo porque tudo está sendo tramitado em segredo da Justiça, mas declarou que seu cliente é inocente e que não se envolveu em nenhum roubo.

Lopes alegou que Fábio não deveria estar preso, pois o mesmo não possui históricos que possam comprometê-lo. Ele ressaltou que o vereador possui casa própria e nunca respondeu a processos na Justiça antes deste.

A defesa afirmou que Fábio só está preso porque um dos suspeitos ao roubo foi até sua residência no dia que aconteceu o crime, mas que seu cliente não compactuou com a ação.

Lopes disse que entrou com habeas corpus no Tribunal de Justiça da Paraíba, mas devido ao recesso, o pedido ainda não foi revisado e enquanto isso vem aguardando a decisão dos magistrados.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Corrupção
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!