O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi vaiado nesta quarta-feira (3) por parlamentares na abertura dos trabalhos legislativos no Congresso Nacional. Depois de entoado o Hino Nacional e antes do discurso do Executivo, os parlamentares gritaram pelo afastamento do mandatário e também protestaram contra a postura do poder Executivo na gestão da pandemia do novo coronavírus. Jair Bolsonaro respondeu: "nos encontramos em 2022". "Muitos debates entre nós, muitas ideias divergentes, mas sempre respeito a qualquer autoridade que porventura estivesse presente neste momento", completou.

Enquanto os parlamentares contrários ao presidente da República protestavam, o novo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), pediu respeito no plenário. Antes de sua fala, Bolsonaro ainda foi chamado de "genocida" e "fascista" por parlamentares oposicionistas, enquanto os parlamentares aliados entoavam o grito de “mito”.

Em seu discurso, Bolsonaro ressaltou as medidas que o Governo federal tomou em relação ao novo coronavírus. Segundo o presidente, seu governo adotou medidas básicas para salvar a vida da população e proteger os empregos. Na terça-feira (2), pelo décimo segundo dia seguido, o país registrou um número de mortes pela Covid-19 acima de mil pela média móvel diária.

Ainda de acordo com as palavras de Bolsonaro, o governo federal está buscando se estruturar em termos logísticos e financeiros para a vacinação.

Ele ainda reforçou a importância da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para a certificação das vacinas e comentou sobre os R$ 20 bilhões que foram investidos para a aquisição dos imunizantes.

Esta foi a primeira ida de Bolsonaro ao Congresso desde seu primeiro ano de mandato. Ele aproveitou a ocasião para provocar os governos do PT ao comparar seu governo com de Lula e Dilma.

Ao destacat a importância do agronegócio no país, Bolsonaro afirmou que foram entregues mais títulos de propriedades rurais nos dois primeiros anos de seu mandato "do que nos 14 anos do governo anterior".

Abertura do Congresso Nacional

Rodrigo Pacheco, o presidente do Congresso, oficializou na quarta-feira (3) o início dos trabalhos legislativos no país.

A cerimônia de abertura aconteceu conforme o rito, direto do Congresso, com a presença de Jair Bolsonaro, de Luiz Fux, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), e de Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara dos Deputados. Os chefes dos poderes Executivo e Judiciário foram recebidos pelos Dragões da Independência, além de canhões do Exército, e foi executado o Hino Nacional.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!