Luiz Fux, presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), discursou nesta segunda-feira (1°), na sessão de abertura do ano judiciário. O ministro do Supremo estava ao lado do presidente da República, Jair Bolsonaro (Sem partido), quando afirmou que existem pessoas que extrapolam os limites da liberdade de expressão com a intenção de disseminar o ódio e ainda criticou autoridades que praticam a negação da ciência para desprezar o grave problema que vivemos, referindo-se à pandemia do novo coronavírus.

Jair Bolsonaro estava usando máscara, procedimento recomendado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e pelo próprio Ministério da Saúde.

Luiz Fux não citou diretamente o presidente da República.

Dentre outras declarações, que podem ser entendidas como direcionadas ao presidente Bolsonaro, Luiz Fux afirmou que a "racionalidade vencerá o obscurantismo". Contudo, antes de iniciar sua fala, o ministro do STF pediu um minuto de silêncio para prestar uma homenagem às mais de 200 mil pessoas que faleceram vitimadas pelo novo coronavírus.

Poder Judiciário

Mas não foi somente o ocupante do Palácio da Alvorada que foi alvo das indiretas do presidente da mais alta corte do país. Demonstrando surpresa por até mesmo um membro do Judiciário ter feito declarações que negam a ciência, assim como costumeiramente faz o presidente Bolsonaro, Fux afirmou ter ficado “estarrecido” com as falas de um presidente de um Tribunal de Justiça que minimizou as consequências da pandemia.

'Picaretas'

O ministro do STF se referiu provavelmente a Carlos Eduardo Contar, que se tornou o novo presidente do TJMS (Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul). Em seu discurso de posse, Contar chamou as pessoas que defendem o isolamento social de “picaretas”. Vale destacar que o presidente Jair Bolsonaro compartilhou em suas redes socias o discurso de Carlos Eduardo Contar.

Fake news

Fervorosos apoiadores de Jair Bolsonaro, que fazem parte de bancadas de programas de debates em emissoras de televisão, influenciadores digitais, deputados bolsonaristas, entre outros formadores de opinião, repetiram ad nauseam a fake news que dizia que o STF teria impedido o presidente da República de ter atuado na pandemia do novo coronavírus, e que esta responsabilidade ficou por conta dos prefeitos e governadores.

O próprio Jair Bolsonaro também costuma replicar a fala. Luiz Fux então fez questão de ressaltar que o Supremo determinou que a responsabilidade da saúde da população foi dada para todos os entes federativos, incluindo a própria União, contrariando falas já proferidas pelo presidente.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!