O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, fez uma visita oficial a Israel neste fim de semana e foi advertido por não usar a máscara de proteção contra a Covid-19. A advertência aconteceu em um evento com Gabi Ashkenazi, chanceler israelense. Vídeo que circula na web mostra o momento em que Ernesto Araújo se aproxima do israelense para tirar a foto oficial do encontro. O ministro israelense aparece já portando a máscara, e o apresentador repreende o ministro brasileiro por não estar se protegendo. O apresentador diz para Ernesto que era necessário que ele colocasse a máscara.

Nas redes sociais, internautas compararam posturas diferentes do Brasil e do exterior em relação ao uso das máscaras. Imagens do encontro da delegação do Brasil a Israel mostram que os israelenses estão preocupados em usar as medidas de segurança adotadas pela OMS. Enquanto isso, no Brasil, Ernesto Araújo compartilhou uma imagem no sábado (6) que mostrava representantes brasileiros todos sem as máscaras. A imagem foi tirada na Base Aérea de Brasília, momentos antes do embarque a Israel. Segundo as normas de segurança, o item deve ser usado em áreas públicas e locais com aglomerações no Distrito Federal.

Apesar de o presidente da República não ir à viagem, ele estava presente no momento do embarque e também posou para a foto.

O mandatário também estava sem o item de segurança.

Em Israel, horas depois, também foi postada uma imagem que mostrava o grupo de embarque. Ao contrário do Brasil, as autoridades optaram por usar as máscaras, e na imagem mostra que todos respeitaram a regra.

Bolsonaro muda discurso e diz que pode se vacinar

O presidente se mostrou contra a vacinação contra a Covid-19 por diversas vezes.

Entretanto, na sexta-feira (5), ele não descartou a possibilidade de receber o imunizante. O momento que o presidente cogita tomar a vacina aconteceu durante conversa com seus apoiadores e o vídeo foi publicado na conta do YouTube de um bolsonarista. O presidente diz que ele já está imunizado contra o coronavírus porque possui anticorpos em seu organismo que impedem de que ele seja contaminado novamente.

Vale destacar que o mandatário contraiu o vírus em julho de 2020. Apesar de o presidente garantir que está imune, isto não é comprovado pelos cientistas. Isto porque ainda não foi estipulado qual o prazo de imunização após a primeira contaminação.

Mesmo assim, Bolsonaro mudou seu discurso e afirmou que pode se vacinar em algum momento. Entretanto, ressaltou que isto só aconteceria caso ele desejasse, pois defendeu que a vacina deve ser tomada quando a pessoa sentir vontade. Além disso, ele pontuou que poderia se vacinar quando as demais pessoas estivem imunizadas. Isto porque, segundo ele, daria espaço para aqueles que não estão protegidos, como ele acredita que está.

Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!