O novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, foi empossado na função pelo presidente Jair Bolsonaro, nesta terça-feira (23). Este evento ocorreu em caráter privativo no Palácio do Planalto. Apesar das informações de que Queiroga assumiria a pasta para aplicar medidas mais ofensivas no combate ao novo coronavírus, que já provocou mais de 295 mil mortes no Brasil, ele disse em recentes entrevistas que dará continuidade ao trabalho do general Eduardo Pazuello.

Marcelo Queiroga quer nação unida contra Covid-19

A designação do cardiologista Marcelo Queiroga para o Ministério da Saúde foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), ainda na tarde desta terça-feira.

Semana passada, Queiroga conclamou à população a se unir no enfrentamento da nova onda da pandemia da Covid-19.

Trajetória profissional de Marcelo Queiroga

Quarto ministro a ocupar a pasta da Saúde no Governo Bolsonaro, Marcelo é presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Seus antecessores no ministério foram: o médico ortopedista e ex-deputado federal pelo estado de Mato Grosso do Sul (MS) Luiz Henrique Mandetta (DEM/MS), o médico oncologista Nelson Teich e, mais recentemente, o general Eduardo Pazuello.

Nascido em João Pessoa (PB), Queiroga é diretor do Departamento de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista do Hospital Alberto Urquiza Wanderley, localizado em João Pessoa.

O ministro recém-empossado acrescenta também no currículo a função de cardiologista do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, em Santa Rita, na Paraíba.

Marcelo Queiroga indicado à ANS

O presidente Jair Bolsonaro vinha sondando o presidente da SBC para o seu governo há algum tempo. No mês de dezembro de 2020, Marcelo Queiroga foi indicado por ele para ocupar uma das cadeiras na diretoria da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Por outro lado, o site Agência Brasil afirma que não foram encontradas situações que pudessem resultar em impedimento no processo de nomeação do médico Marcelo Queiroga para o Ministério da Saúde. Uma ação penal veiculada na imprensa sobre suposta apropriação indébita previdenciária foi julgada improcedente. O site destaca que houve emissão de uma certidão pela 16ª Vara Federal da Seção Judiciária de Paraíba, comprovando a absolvição do médico.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!