Neste domingo (2), Eduardo Bolsonaro (PLS-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), comentou a destituição da Suprema Corte de El Salvador e elogiou a ação. Todos os juízes que integravam a Suprema Corte de El Salvador foram removidos. A decisão aconteceu após a Assembleia Legislativa de El Salvador, que possui uma maioria governista, aprovar em votação, no dia 2 de maio, que 5 juízes da Suprema Corte e o procurador-geral deveriam ser destituídos. A decisão ocorreu após 64 votos a favor e 19 contra. Os juízes e o procurador-geral se opuseram ao presidente Nayib Bukele, que denominou a destituição de “limpeza da casa”.

Eduardo Bolsonaro celebra destituição

Em sua conta do Twitter, Eduardo Bolsonaro comemorou a destituição da Suprema Corte de El Salvador. O deputado federal repostou a celebração de Nayib Bukele e na legenda disse que a destituição da Suprema Corte aconteceu após interferência no poder Executivo. Além disso, o deputado destacou que tudo aconteceu de forma constitucional. O filho de Bolsonaro afirmou que os juízes são os responsáveis por julgar casos, e não para ditar políticas, e que se caso eles quisessem fazer isso deveriam sair às ruas para disputar as eleições e se elegerem.

A fala de Eduardo Bolsonaro acontece em meio a alguns desentendimentos de ideias entre Bolsonaro e o Poder Judiciário brasileiro.

Em alguns momentos, principalmente neste momento de crise que o país enfrenta, o STF emitiu algumas ordens que desagradaram Bolsonaro. Uma delas foi a instalação da CPI para analisar a condução do enfrentamento da pandemia da Covid-19.

Rodrigo Maia comenta celebração de Eduardo Bolsonaro

Após o filho do presidente comemorar a destituição da Suprema Corte salvadorenha, o deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ) e ex-presidente da Câmara comentou sobre o que pensa sobre a situação.

Para Maia, o comentário feito por Eduardo Bolsonaro é "muito grave".

Presidente Bukele comemora destituição

O presidente de El Salvador comemorou a decisão de destituir os integrantes da Suprema Corte neste fim de semana. Em sua conta do Twitter ele escreveu que queria trabalhar com a comunidade internacional, viajar, negociar, conhecer e ajudar no que estiver ao alcance.

O presidente disse que as portas estão abertas e afirmou que com todo respeito estavam "limpando a casa" deles e que isto não era da conta de ninguém.

Segundo informações do portal UOL, as organizações da sociedade civil de El Salvador classificaram a ação como “um golpe de Estado”. Além disso, a medida também foi alvo de questionamentos de órgãos de defesa dos Direitos Humanos.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!