A esperança da família Mello durou 12 horas e deu lugar à tristeza e à dor. Na noite deste domingo (21), Eduarda Herrera de Mello, de apenas 9 anos, brincava em frente de sua casa, na zona norte de Porto alegre, quando desapareceu.

Logo que a família notou que a menina estava desaparecida iniciou-se uma busca intensa que terminou de forma trágica 12 horas depois. O corpo da menina foi encontrado às margens da ERS-118, em Alvorada, região metropolitana de Porto Alegre.

O corpo foi encontrado por um motorista que parou no acostamento da rodovia. Ele chamou a Polícia, que foi ao local. Os policiais não permitiram que a família de Eduarda se aproximasse, mas a mãe da menina confirmou que o corpo era de sua filha pequena.

A polícia ainda investiga o caso para saber exatamente o que aconteceu e quem cometeu esse crime terrível. Os familiares, porém, acreditam que ela foi vítima de um ritual religioso. A delegada do caso, Andrea Magno, afirmou que é muito prematuro dizer o que poderia ter acontecido.

Junto ao corpo da garota os policiais encontraram pipocas e balas e dizem que isso faz parte da cena do crime. Mais detalhes sobre o crime devem ser dados nos próximos dias, com o avanço das investigações deste caso que está chocando Porto Alegre e todo o Brasil.

O desaparecimento

O relógio marcava 21h de domingo quando, segundo uma amiga de Eduarda que brincava com ela na rua, um homem teria parado de carro e começou a conversar com as duas.

Segundo testemunhas, Eduarda teria entrado em um carro vermelho e a partir daí não foi mais vista.

Alguns vizinhos afirmaram que o veículo circulou pelas ruas dos bairros durante todo o dia. A investigação policial passa agora por analisar câmeras de segurança das redondezas para identificar este veículo.

Uma tia de Eduarda, Paula Morgani, afirmou que a menina era muito extrovertida e encantava a todos com seu jeito simpático. Segundo a tia, a menina era orientada em relação ao contato com estranhos. Eles querem saber o que o homem falou para a menina para que ela entrasse no carro.

Os pais costumam orientar as crianças a não conversar e a não aceitar nada que seja dado por estranhos nas ruas.

O Brasil é um país campeão em desaparecimento.

Dados de 2017 mostrou que o Brasil registrou 693 mil desaparecimentos entre 2007 e 2016. Isso representa oito desaparecimentos a cada hora em todo o país. Muitos desses desaparecidos são crianças e algumas estão sumidas há anos sem que a família tenha uma notícia concreta sobre o paradeiro.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!