Publicidade
Publicidade

Em cumprimento a um mandado de prisão expedido pela Justiça, nesta terça-feira (20), um idoso de 64 anos de idade foi preso na localidade de Osório, no litoral norte do Rio Grande do Sul, após ser condenado pelo estupro de uma menina de 16 anos portadora de necessidades especiais.

De acordo com a Polícia, o homem foi julgado e sentenciado a oito anos de reclusão pela Justiça referente ao crime, que ocorreu em 2010, quando o acusado, que era vizinho da vítima, aproveitou-se de uma situação e abusou da jovem no interior de um galpão.

Publicidade

Com o crime realizado pelo homem, a menina acabou ficando grávida e o caso acabou sendo investigado pela polícia da região de Osório. Com as investigações, o homem acabou sendo descoberto por conta de um exame de DNA realizado pela Justiça.

Segundo o delegado responsável pelo caso, João Henrique Gomes, o acusado foi condenado por estupro de vulnerável, por conta de a vítima ser portadora de doença mental.

O homem foi localizado pela polícia dentro de sua própria residência, na região de Várzea do Padre, e foi levado para a delegacia, e, logo em seguida, encaminhado para uma unidade prisional da região onde cumprirá sua pena em regime fechado.

Operação policial prende duas pessoas por pornografia infantil no Rio Grande do Sul

Nesta quinta-feira (22), uma operação realizada pela Polícia Civil batizada de Luz na Infância, dois homens foram presos por armazenarem conteúdos pornográficos infantis no Rio Grande do Sul. Segundo a polícia, um dos suspeitos foi preso em Santa Maria e o outro em Pelotas.

Ainda de acordo com a Polícia Civil da região, quatro mandados de buscas foram cumpridos pelos agentes em Porto Alegre, Santa Maria e Pelotas, e toda ação contou com a participação de policiais de pelo menos 18 Estados e Distrito Federal.

Publicidade

O principal objetivo da operação seria localizar e apreender qualquer tipo de conteúdos relacionados ao crime de abuso e exploração sexual infantil, e com o máximo empenho dos agentes civis, a ação chegou a se estender até a Argentina tornando ainda mais visar o desenvolvimento e o aprimoramento a repressão à exploração sexual infantojuvenil.

Toda a operação teve a coordenação do Ministério da Segurança Pública (MSP), que disponibilizou cerca de mil agentes para o cumprimento das ordens.

Os dois homens presos na ação foram encaminhados para a delegacia de polícia e responderão pelo seus atos em regime fechado.