O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, chorou ao se despedir do cargo nesta sexta 30, em evento no centro administrativo da prefeitura, na Cidade Nova.

Acompanhado do vice-prefeito, Adilson Pires (PT), do deputado federal Pedro Paulo (PMDB), e do presidente da Câmara de Vereadores do Rio, Jorge Felippe (PMDB), Paes acompanhou uma cerimônia ecumênica que durou trinta minutos, em que se entoaram hinos evangélicos e orações católicas, comandados pela Igreja Maranatha, e o Padre Jorjão, da paróquia Nossa Senhora da Paz e um representante da Arquidiocese do Rio de Janeiro.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Política

Entoaram-se cantos como 'Raridade' de Anderson Freire, 'Sou um milagre' Louvor e glória (também interpretada pelo Padre Marcelo Rossi) e rezados um 'Pai Nosso' e uma 'Ave-Maria', a pedido dos padres da Arquidiocese.Paes deixou o prédio às 13h05, em veículo próprio, sem falar com nenhum jornalista.

Crivella

Durante a cerimônia, o prefeito do Rio afirmou que ele e toda a sua equipe estarão inteiramente disponíveis ao prefeito eleito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella do PRB, partido da Igreja Universal de Edir macedo da qual Crivella é Bispo Licenciado.

Paes disse ainda que saía do cargo com 'cabeça erguida' e 'peito estufado', consciente de ter feito o seu melhor e tudo que podia para o bem da cidade ao qual afirmou 'ser louco'.

O mandato de Eduardo Paes vai até a meia-noite deste sábado, 31 de dezembro de dois mil e dezesseis. A posse de Marcelo Crivella ocorerrá na tarde de domingo, primeiro de janeiro, no Palácio da Cidade, e será transmitida pelos órgãos de comunicação oficiais.

Até o final de semana, a prefeitura deve editar uma edição extra do Diário Oficial da União com todas as exonerações dos vários assessores do prefeito.

Os melhores vídeos do dia

Aumento suspenso

Anteriormente, Eduardo Paes havia cancelado o aumento das tarifas de ônibus para R$ 3,95, cerca de 3,6% de aumento percentual, devido à discordância do secretário de Transportes escalado por Crivella, Fernando mac Donwell, que havia se posicionado contra tal acréscimo.

Em nota, a secretaria de transportes afirmou que "o prefeito Eduardo Paes entende que no momento é necessário respeitar a decisão do prefeito eleito Marcelo Crivella e sua equipe".