Anúncio
Anúncio

De fato ninguém está isento ao contexto de insegurança, dúvidas e Violência nas grandes cidades e até mesmo nos pequenos vilarejos do interior, fenômeno esse que causa grande apreensão em todos e o pior, o processo parece progredir em escala mundial e o Brasil não sai incólume dessa situação aflitiva. Diariamente são veiculadas notícias nada satisfatórias no quesito da segurança e integridade física do cidadão brasileiro em geral e até mesmo dos estrangeiros que aqui vivem.

Um exemplo que está causando consternação, principalmente na colônia de gregos e descendentes que vivem no Brasil, está diretamente relacionada à pessoa da autoridade máxima da Grécia no país, que é o embaixador Kyriakos Amiridis, com 59 anos de idade, que está desaparecido desde o dia 26 de dezembro no Rio de Janeiro, conforme informação veiculada pela Polícia Civil carioca nesta quinta-feira.

Anúncio

As últimas notícias acerca do paradeiro do embaixador datam de segunda-feira passada, um dia posterior ao Natal - não foi informada a localização do mesmo - porém, neste momento, detetives do DHBF (Setor de Descoberta de Paradeiros da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense) promovem diligências com o objetivo de encontrar o grego Amiridis em um dos diversos pontos da Cidade Maravilhosa.

Por questões de segurança e sigilo pessoal, os funcionários do Consulado da Grécia no Rio de Janeiro não estão autorizados a fornecer detalhes sobre o possível paradeiro de Amiridis e, por sua vez, os demais representantes da Embaixada da Grécia localizada em Brasília, também não se manifestaram em caráter oficial sobre esse conturbado caso.

Anúncio
Os melhores vídeos do dia

O embaixador grego é apaixonado pela cidade do Rio e pelo seu povo. Ele foi o cônsul grego oficial na cidade de 2001 a 2004. No mês de janeiro de 2016, Amiridis foi promovido a embaixador da Grécia no Distrito Federal.

Kyriakos se formou em direito pela Universidade de Aristóteles, em Tessalônica, um dos maiores centros acadêmicos da Grécia e um dos maiores da Europa. O embaixador iniciou a sua carreira diplomática em 1985 e antes de vir ao Brasil serviu na embaixada grega na Líbia por quatro anos.

Entrevista concedida pelo embaixador para o professor Argemiro Procópio, do Instituto de Relações Internacionais da UnB