Um trio da pesada foi preso nesta semana, no Rio de Janeiro. As "lindonas" do Crime são acusadas de praticarem um crime similar ao "boa noite, Cinderela" em suas vítimas.

Policiais da 12ª Delegacia de Polícia do bairro (Copacabana) prenderam duas travestis e uma garota de programa apontadas como responsáveis por aplicar golpes na orla da Zona Sul do Rio.

O trio de meninas, segundo o delegado responsável pelo caso, Gabriel Ferrando, dopava as vítimas e, após elas ficarem "desconectadas'', efetuavam o roubo. A polícia calcula que a atividade era muito "lucrativa". Estima-se que, por final de semana, as belas faturavam cerca de R$ 50 mil com os golpes.

As criminosas roubavam todos os pertences de valor das vitimas, mas o que rendia mais ao bando eram os cartões de crédito e resgate de valores em contas bancárias. Os cartões serviam para fazer compras em lojas de luxo da cidade.

O delegado explicou que não se trata do "boa noite, Cinderela", mas de um golpe semelhante. Nesse caso, a substância usada para entorpecer as vítimas gera no indivíduo uma situação de impossibilidade de reação, mesmo estando totalmente acordada e lúcida.

A maior dificuldade de prender as três foi o fato de as vítimas, por provável vergonha, não registrarem queixa na polícia.

E não foi realmente uma denúncia de uma vítima que levou à prisão e, sim, de uma família, desesperada por conta do sumiço de um familiar.

Essa família procurou a delegacia para apresentar queixa do sumiço de um ente.

Os melhores vídeos do dia

Posteriormente, retornou com a pessoa sumida, ainda atordoada. A família fez o relato do acontecido e a Polícia Civil iniciou uma investigação mais aprofundada do caso.

Com a investigação e o cruzamento de informações de onde o bando efetuou os gastos com os cartões da vítima, a polícia fechou o cerco. Utilizando-se de câmeras de segurança dos estabelecimentos comerciais, identificou-se a quadrilha, que foi presa.

A operação policial deflagrada ganhou o nome de "Antídoto" e logrou êxito, no último dia 16. Em apartamentos do bairro de Copacabana, a polícia prendeu David Daniel Alves de Jesus, de 19 anos, a Jéssica; Alan Bruno da Silva Soares, de 30 anos, a Bruna ou Bruninha; e Nathália Malafaia Pinheiro, de 28 anos

Conforme entrevista do delegado, uma delas colaborou com as investigações e responderá o inquérito em liberdade. A moça deu detalhes do coquetel de remédios dado às vítimas e do " modus operandi" da quadrilha.

O golpe já era praticado há cerca de um ano e o delegado pede que as vítimas compareçam à Delegacia para reconhecer o trio.

Conheça o trio de criminosas:

Nathália Malafaia Pinheiro, de 28 anos

Alan Bruno da Silva Soares, de 30 anos, a Bruna ou Bruninha

David Daniel Alves de Jesus, de 19 anos, a Jéssica