De tempos em tempos, os brasileiros assistem atônitos a notícias de crimes bárbaros cometidos no país. Os crimes violentos mostram que a população é totalmente refém dos bandidos e até mesmo autoridades correm o risco de serem assassinadas de forma fria e covarde. Nesta sexta-feira (12), o delegado da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Fábio Monteiro [VIDEO], saiu de casa para mais um dia de trabalho.

Claro que policiais no Rio de Janeiro nunca esperam um dia normal ou tranquilo [VIDEO], mas Monteiro e sua família esperavam uma volta para casa ao final de um expediente cansativo. Isso não aconteceu e não acontecerá nunca mais.

O delegado foi sequestrado por criminosos antes de chegar ao trabalho e o pior desfecho possível para esta história de terror cotidiana no Brasil aconteceu.

Crime bárbaro

O delegado foi sequestrado por criminosos ao chegar o complexo policial, segundo a polícia. Após o sequestro, ele foi assassinado. Investigadores foram ao local da ocorrência e iniciaram averiguação para entender o que havia acontecido.

Durante a tarde, o corpo do delegado foi encontrado por moradores dentro do porta-malas de um carro que estava parado na avenida Dom Hélder Câmara. Após o corpo ser achado, houve intenso tiroteio na região da favela do Arará, na zona norte.

Passageiros que aguardavam o trem na plataforma da estação Jacarezinho se jogaram no chão para se protegerem dos disparos. Entre 16h e 19h, as viagens entre as estações Central e Jacarezinho foram suspensas por motivos de segurança.

Mortes

Em 12 dias do ano, seis policiais já foram mortos em confronto no estado do Rio de Janeiro. Em 2017, 134 policiais foram assassinados no estado. Em 2016, havia sido 135.

A quantidade de policiais que perdem a vida exercendo sua função assusta, principalmente, os familiares. Esposas, filhos, mães, pais e irmãos não sabem se seus parentes voltarão para casa vivos depois de um dia de trabalho. O clima de insegurança é total.

Detalhes que chamam a atenção

Os detalhes que chamam a atenção de quem lê esta triste história é que os bandidos, pelo que informou a polícia, não estavam atrás do delegado. Eles o encontram, o reconheceram e, fortemente armados, o sequestraram. Como é de praxe, eles jamais deixariam um policial vivo. Outro detalhe é que o corpo de Fábio foi encontrado dentro do porta-malas de um veículo, o que mostra a frieza dos bandidos que o assassinaram. A polícia está atrás dos assassinos.