O prefeito do Rio de Janeiro Marcelo, Crivella, teve uma participação especial no programa "Fala que Eu Te Escuto", na madrugada dessa terça-feira (20), que é apresentado por pastores e bispos da Igreja Universal do Reino de Deus, na RecordTV. Ele resolveu participar pela internet, dando sua opinião.

Mas acontece que o político do PRB resolveu ressaltar e rebater uma série de reportagens produzidas pela Rede Globo sobre sua viagem para a Europa durante o Carnaval. Crivella acusou a Globo de manter uma "controvérsia" contra os evangélicos, revelando que sua viagem não foi a passeio, argumentando se tratar de uma viagem que, segundo ele, é importante para o Rio de Janeiro.

Marcelo aproveitou o momento para salientar que as pessoas que o conhecem sabem do seu caráter e da perseguição que afirma sofrer pela emissora. Além da Rede Globo, Crivella disparou também contra os jornais Folha de S. Paulo e o Extra. Segundo ele, é maltratado por essas mídias.

Em relação à perseguição e ondas de protestos que tem recebido dos cariocas, o pastor atribuiu a culpa a própria mídia, que, para ele, é responsáveis pela manipulação da população, que por vezes acaba embarcando nas ideias propostas por tal emissora.

A tag fqteaovivo ficou entre as mais faladas do Twitter, que obviamente estava sendo regada por críticas a Rede Globo e também ao prefeito.

Crivella: rejeitado por muitos

Vale lembrar que nos meses que antecederam o Carnaval [VIDEO], Marcelo Crivella foi muito criticado pelos cariocas devido a uma decisão de não financiar a folia, que já é tradição no país.

Crivella, no entanto, seguiu com a decisão adiante e não liberou verba mesmo.

Ele foi criticado em escala maior por ter viajado para a Europa justamente no Carnaval.

MP intervém contra a viajem

Segundo informações do portal de notícias G1, o Ministério Público investiga omissão do prefeito durante o Carnaval. Para o MP, Marcelo falhou nas medidas que deveriam ser tomadas na prevenção da onda de violência que assolou a cidade.

Marcelo Crivella teria se distanciado do cargo a ele atribuído em uma data que não cabia ao prefeito viajar, pois, segundo o MP, responsabilidades e decisões deveriam ter sido tomadas pelo prefeito em relação ao caos que moradores e turistas enfrentaram com os assaltos e arrastões.

Segundo o G1, Crivella teria 30 dias para se manifestar sobre o ocorrido. Ainda no mesmo site é possível encontrar a informação de que Crivella em 1 ano de mandato passou 36 dias em viagens oficiais no exterior.

Vale lembrar que Marcelo Crivella é prefeito da cidade do Rio de Janeiro [VIDEO] desde 2017 e sobrinho de Edir Macedo, presidente da Rede Record.