A intervenção federal das Forças Armadas no Rio de Janeiro está custando o cargo do secretário de Segurança Pública, Roberto Sá. Ele será desligado de suas funções, que ficarão a cargo do novo interventor Braga Netto, comandante militar do Leste.

A decisão pela intervenção no RJ foi costurada em uma tensa reunião na quinta-feira, 15, que contou com a presença do governador fluminense Luiz Fernando Pezão, o presidente Michel Temer, ministros da área da segurança e representantes do Congresso Nacional.

Na prática, o interventor só fica abaixo do presidente da República na hierarquia governamental e poderá ter à disposição recursos tecnológicos, humanos e financeiros advindos do Governo Federal.

Uma cerimônia em Brasília nesta sexta marcou a assinatura [VIDEO] do decreto da intervenção no Rio. Em um discurso forte, Temer chegou a dizer que o governo não poderia mais permitir que bandidos "assassinem o nosso presente e ameacem o nosso futuro".

A onda de Insegurança no Rio de Janeiro cresceu bastante nos dias recentes de Carnaval [VIDEO], com muitos relatos de assaltos, furtos e saques. A intervenção visa atacar as milícias, o poder paralelo e o tráfico de drogas e de armas, preferencialmente.