Um jovem de 19 anos, identificado como Pedro Gonzaga, acabou morrendo em uma unidade do hipermercado Extra na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, após receber uma "gravata" de um dos seguranças do local. A fatalidade se deu no início da tarde desta quinta-feira (14) e foi registrada pelo celular de uma das pessoas que estava no local.

Publicidade
Publicidade

Segundo a empresa responsável pelos profissionais de segurança do local, o rapaz teria tentado furtar uma das armas de um dos funcionários.

Nas imagens registradas o rapaz aparece embaixo do segurança, que está lhe aplicando a "gravata". O jovem não está mais reagindo e algumas pessoas do público que está em volta começam a alertar o segurança de que o rapaz está começando a sufocar. Além de afirmarem que o garoto já se encontrava desacordado, uma mulher diz que as mãos dele estão ficando roxas.

Segundo o segurança, o rapaz imobilizado teria tentado roubar sua arma. (Imagem: Reprodução)
Segundo o segurança, o rapaz imobilizado teria tentado roubar sua arma. (Imagem: Reprodução)

Mesmo com pedidos para que ele saia de cima do rapaz, o segurança se recusa a deixar a posição e, aos berros, diz que quem sabe conduzir a situação é ele.

Em meio à ação, outros funcionários do hipermercado circulam o segurança, mas não fazem nada para detê-lo.

Pedro foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro e levado ao Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, onde deu entrada às 14h e precisou passar por um processo de reanimação, mas acabou morrendo por conta de duas paradas cardiorrespiratórias que teve logo em seguida, fazendo com que a morte do rapaz fosse registrada às 15h10.

Publicidade

A Polícia Militar também foi acionada, mas quando chegou ao local o jovem já havia sido levado para a emergência. A empresa registrou o boletim de ocorrência com a Polícia Civil, que deve investigar o acontecido de agora em diante.

A resposta do hipermercado

Em nota, a assessoria do Extra, pertencente ao grupo Pão de Açúcar, informou que repudia todo e qualquer ato de violência e que o caso será investigado internamente para maiores esclarecimentos.

Os seguranças do local que tiveram envolvimento com a morte foram afastados até que se tenham mais repostas. A rede ainda afirma que tanto a polícia, quanto o Corpo de Bombeiros foram acionados assim que Pedro foi imobilizado.

Como o caso passou a se tratar de um homicídio, será investigado pela Delegacia de Homicídios da Capital. De acordo com a Polícia Civil, os seguranças presentes no ato já foram interrogados e ouvidos.

Atenção, o vídeo a seguir contém imagens fortes.

Leia tudo