A polícia de Juazeiro, no estado da Bahia, prendeu um homem suspeito de estuprar alunos de uma escolinha de futebol onde dava aulas. O acusado é José Nilton dos Santos, de 49 anos. Ele foi detido na última terça-feira (4), após denúncia dos pais das crianças, com idades entre 9 e 12 anos.

A Polícia Civil informou, por meio do delegado Nélio Neves, que para conseguir seu objetivo o professor aliciava os menores, prometendo a eles diversas coisas relacionadas à modalidade esportiva ou mesmo a objetos de valor.

Com essa conversa, ele convencia as crianças a irem para a sua casa, onde o #Crime era consumado. Os alunos relataram de forma bastante detalhada de que maneira aconteciam os abusos. Depois de ouvir alguns depoimentos, Neves entrou com ação para garantir a prisão preventiva do suspeito, contra quem já pesavam outras denúncias.

José Nilton respondia a outros inquéritos semelhantes, mas todos esbarravam na dificuldade de obter provas. O treinador nega todas as acusações e diz que tudo o que foi falado é mentira. Além de técnico em Juazeiro, José Nilton também dava aulas em escolinhas de Petrolina, em Pernambuco, a aproximadamente 5 quilômetros.

A ocorrência foi registrada na delegacia na semana passada, mas em função da legislação eleitoral, que coíbe prisões até dois dias após o pleito, as autoridades só tiveram como cumprir o mandado de prisão na última terça.

No total, cinco vítimas prestaram depoimento relatando os abusos.

Pedindo anonimato, o pai de uma delas se disse incrédulo. Ele contou à imprensa que nunca esperaria uma coisa dessas. Disse ainda que, depois que soube que seu filho estava na lista das vítimas, perdeu totalmente o sono e não consegue parar de imaginar a dor do menor.

Os melhores vídeos do dia

José Nilton desenvolveu projetos sociais nas periferias de Juazeiro, onde revelou atletas reconhecidos no futebol profissional, como Nixon, do Flamengo.

As famílias das vítimas esperam justiça e dizem que estão um pouco mais aliviadas sabendo que o acusado está preso. “Espero que a polícia dê continuidade no processo”, afirmou o pai de uma das vítimas. #Estupro #Casos de polícia