Na última sexta-feira (7) uma quadrilha que seguia na rodovia 338, interceptou e roubou um carro forte, que saia da cidade de Mococa. Depois de efetuar o assalto e trocar tiros com os seguranças do carro forte, os bandidos fugiram deixando um segurança morto, e até o momento não se sabe se tem mais pessoas feridas. O crime aconteceu na SP 338 entre Mococa (SP) e Cajurú (SP).

Após o ocorrido os bandidos se depararam com um comboio na rodovia (333) que levavam presos para a comarca de Mococa, para audiência.

Publicidade
Publicidade

Assustados, começaram um tiroteio com os policiais que estavam fazendo a escolta, a quadrilha conseguiu que 37 presos fugissem pelo matagal, as margens da rodovia Abraão Assed SP (333), que liga Casa Branca (SP) a Cruz Azul (SP), quatro dos presos não compactuaram com essa ação, ficando no local do confronto.

Os demais presos estão sendo procurados pela Polícia por terra, e com a ajuda de helicóptero Águia da polícia.

Publicidade

A região é de difícil acesso, pois existem muitos canaviais além da mata fechada e rodovias na região. A polícia informou que até o momento 20 detentos já foram recapturados.

A investigação está a cargo da delegacia de policia de Mococa, com o Dr. Wanderley F. Martins está a frente do caso. A secretaria de segurança publica de São Paulo (SSP), está enviando uma equipe de investigação para auxiliar o delegado de Mococa. A polícia suspeita que essa quadrilha é a mesma que frequentemente ataca carros fortes em São Paulo.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Curiosidades

Vamos aguardar maiores investigações, contando sempre com a competência da polícia militar e polícia civil para guardar novamente os meliantes que ainda estão foragidos e amedrontando a população local.

Novas informações Polícia Militar, nesta segunda-feira (10), afirmaram que os bandidos conseguiram levar R$ 1.000.000, e que já foram recapturados 10 detentos. Hoje pela manhã vigilantes fizeram manifestação, em frente a empresa Protege pedindo armas mais potentes e dispositivos mais avançados.

Leia mais notícias:

Assalto frustado em Piracicaba 

Facção criminosa de São Paulo fatura mais de 15 milhões de reais por mês

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo