Tsunamis de pessoas inundaram as ruas e da grande São Paulo. A abertura do Carnaval paulistano foi como um grande terremoto. Uma grande multidão tomou conta do Largo da Batata e a cada metro quadrado de rua os foliões se moviam como verdadeiras ondas humanas. A Avenida Faria Lima ficou fechada para o desfile dos blocos na parte da manhã e da tarde do sábado.

O Carnaval de rua deste sábado (18) foi formado por grandes blocos que se espalharam desde a região do Ibirapuera, Pinheiros e da Vila Olímpia.

Ao todo, foram cerca de 106 blocos desfilando e abordando temas sociais e políticos dos mais variados.

O trânsito parou em várias localidades. Na Zona Oeste, carros e ônibus ficaram ilhados entre a grande quantidade de foliões. No metrô, as estações da Linha 4-Amarela Faria Lima e Fradique Coutinho registraram um intenso fluxo de pessoas e tiveram que ser restringidos.

Temas políticos e sociais foram destaque dos blocos carnavalescos

Para quem pensa que o Carnaval brasileiro é um momento de distração, como se costumar dizer, "Pão e circo para o povo", se enganou, temas importantes foram tratados em meio ao Carnaval deste ano.

O Bloco Soviético inundou a Augusta com paródias de forte teor político, temas como machismo, golpe político e incentivo a favor da revolução tomaram conta das ruas.

Muitos afirmam com preconceito que o Paulistano não sabe fazer Carnaval, mas os últimos carnavais da cidade de São Paulo têm sido uma demonstração que eles não ficam atrás de nenhuma região do Brasil.

Amor livre e fim do preconceito

O bloco Ritaleena fez homenagens à cantora Rita Lee, e se concentrou na Rua dos Pinheiros, percorrendo várias ruas do bairro.

Blocos de axé se concentraram na Rua Fiandeiras e na Vila Olímpia, cantaram os sucessos da Banda Eva e outros.

O Bloco Casa Comigo fez celebração ao amor sem preconceito. Raul Cilento, vocalista e fundador do bloco, fez um manifesto em defesa da liberdade de escolha independente da orientação sexual. O Carnaval paulistano é marcado pelo multiculturalismo, oferecendo opções para todos os gostos, reflexo de um cidade que evolui e se transforma.

Não perca a nossa página no Facebook!