A procura obsessiva pela beleza tem levado cada vez mais jovens mulheres a buscarem métodos não convencionais para conseguirem o corpo desejado. A busca pelo padrão de beleza imposto pela indústria da moda já levou garotas à bulimia, anorexia e muitas a morte. Hoje, a grande moda é injetar substâncias nocivas a saúde nas partes que elas querem ver maiores e com mais rapidez, deixando de lado as academias, pois segundo as mesmas demora muito.

Os produtos mais usados são: hidrogel, silicone industrial, óleo mineral sem falar nos esteroides anabolizantes, sendo esses últimos causadores, muitas vezes, de câncer. Antes, esses produtos eram mais utilizados por travestis, para obter o corpo mais feminino (principalmente o silicone industrial). Muitas ficaram deformadas, pois esse produto sai do lugar com facilidade. Algumas colocaram no quadril e foi parar na coxa, outras colocaram nas panturrilhas e parou nos tornozelos.

Depois, procuram médicos (SUS) que dizem não ter condições de ser retirado. Quando se é aplicado nos seios, corre o risco de se infiltrar para os pulmões, causando embolia pulmonar .

Muitas ficam necrosadas perdendo totalmente o membro afetado. Vale lembrar que quem faz essas aplicações são os próprios travestis. A grande preocupação agora é que jovens mulheres estão se deixando levar por esses métodos arriscados e muito perigosos.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Famosos Televisão

Esses últimos casos que estão aparecendo na mídia são apenas a ponta do iceberg. Há tempos isso acontece.

A vigilância sanitária, junto com o Ministério da Saúde têm que intensificar as fiscalizações, pois não vai parar por aí. Essa prática é bem mais antiga e muito mais comum do que se imagina. Tem que haver uma grande campanha, de um lado, mostrando mulheres lindíssimas e naturais, do outro, mulheres também lindas mas as custas desses métodos.

Depois, se mostra o futuro de cada uma, para chocar mesmo, pois a coisa é bem mais séria do que se imagina.

Conscientização: essa é a melhor maneira de prevenção e sairá bem mais barato para os cofres do ministério da saúde.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo