Submetidos, em 2013, à avaliação do MEC (Ministério da Educação) foram reprovados vinte e sete cursos de medicina do país. A nota que tiveram foi 3, numa escala de 1 a 5 do chamado Conceito Preliminar de Curso (CPC). A publicação do resultado foi feita no Diário Oficial da União do dia 18. Correspondem a 17,5% do total de cursos com conceito insatisfatório, de um universo de 154 cursos de graduação de medicina avaliados no país.

Dessas faculdades de medicina reprovadas constam cinco pertencentes ao governo federal: as universidades federais de São João Del-Rei (UFSJ), do Pará (UFPA), do Rio Grande do Sul (UFRGS), de Pelotas (UFPeL) e de Campina Grande (UFCG). Nenhuma delas teve a nota máxima 5.

Aqui no Estado do Rio de Janeiro, duas foram reprovadas, Centro Universitário Serra dos Órgãos, em Teresópolis, e a Universidade Grande Rio (Unigranrio), de Duque de Caxias.

Aliás, em nota, a Unigranrio prestou a informação de que reunirá os seus coordenadores para avaliar o resultado.

Por sua vez, Mauro Ribeiro, vice-presidente do Conselho Federal de Medicina, considerou uma catástrofe o ocorrido, culpando a falta de investimentos e também a concessão de novos cursos sem a devida inspeção. Considerou ainda o fato de que escolas de medicina são abertas em cidades sem a infraestrutura para apoiá-las.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Educação Opinião

Disse ainda que o INEP já registrava, em 2013, a existência de 242 delas enquanto avaliou apenas 154.

Os critérios de avaliação dos cursos levam em consideração a nota dos alunos obtida no chamado Exame Nacional do Desempenho do Estudante (ENADE) e a qualidade da infraestrutura, do projeto pedagógico e do corpo docente. A avaliação é feita a cada três anos, com base em três pesos: 55% para a nota do ENADE; 30% para a qualificação do corpo docente; 15% para infraestrutura e projeto pedagógico.

Considerando-se as notas do índice geral dos cursos de medicina do país, temos:

a) com conceito 3 - 61,4%; b) com conceito 4 - 16,7%; c) com conceito 5 - 1,2%. Quanto aos cursos reprovados: a) sem conceito - 3,1%; b) com conceito 1 - 0,5%; com conceito 2 - 17%.

Em resumo, o MEC reprovou 27 cursos de medicina no país, considerados "insatisfatórios". E as causas, são todas conhecidas?

Mas a grande questão também é detectar o nível de preparação dos alunos, o que é apontado pelo concurso vestibular.

O ENEM, por exemplo, está cumprindo realmente o seu papel? Ou tem função de concurso apenas eliminatório?

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo