É muito importante que o cidadão conheça seus direitos, para que assim, possa reivindicá-los quando houver necessidade. Entretanto, a maioria da população brasileira não conhece as leis como deveria. Por isso, as empresas praticam abusos, desobedecendo o Código de Defesa do Consumidor, com práticas abusivas, que lesam os direitos dos clientes nas relações comerciais.

Logo, para não ser vítima das práticas irregulares realizadas pelas empresas, é necessário ter o conhecimento sobre os direitos e deveres que a lei impõe sobre as relações entre empresa e consumidor. Por isso, veja a seguir os principais artigos do Código de Defesa do Consumidor (CDC).

Troca de produtos

O artigo 18 informa que: os fornecedores de produtos de consumo respondem pelos defeitos de qualidade ou quantidade que os tornem impróprios para o consumo a que se destinam ou lhes diminuam o valor. Da mesma maneira ocorre com os produtos que apresentarem disparidade com as indicações constantes do recipiente da embalagem ou na mensagem publicitária. Nesses casos, o consumidor pode exigir a substituição das partes viciadas.

Logo, a empresa não é obrigada a efetuar troca de produtos por motivo relacionado a arrependimento. Todavia, o comerciante é obrigado a substituir produtos com defeito de fabricação.

O cumprimento da oferta

De acordo com o artigo 35, se o fornecedor de produtos ou serviços recusar cumprimento à oferta, apresentação ou publicidade, o consumidor poderá, alternativamente e a sua escolha: exigir o cumprimento forçado da obrigação, conforme o especificado nos termos da oferta, apresentação ou publicidade.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Opinião

Outra possibilidade é aceitar outro produto ou prestação de serviço equivalente. Nesse caso é possível, até mesmo, rescindir o contrato, com direito à restituição de total da quantia e a perdas e danos, caso haja.

Por exemplo: caso uma loja ofereça promoções, ela é obrigada a cumprir exatamente o informado. Assim, o motivo de um engano no método de comunicação, erros de português, linguagem figurada, ou brincadeira não isenta a empresa da obrigação de realizar o que foi informado na oferta.

Cobrança indevida

Sobre a cobrança indevida, o artigo 42, parágrafo único informa: o consumidor cobrado em quantia indevida tem direito à repetição do indébito, por valor igual ao dobro do que pagou em excesso, salvo na hipótese de engano justificável.

Portanto, é necessário entender que o judiciário somente se move quando é acionado. Para isso, é imprescindível que conheça seus direitos. O primeiro passo é ler e entender o Código de Defesa do Consumidor.

Em caso de dúvida, ou quando sentir que seu direito tenha sido lesado entre em contato com o PROCON, ou vá até o Juizado Especial de Pequenas Causas e busque orientações.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo