Nomear ministros não é tarefa simples. Principalmente quando o chefe do governo não teve vitória com larga vantagem na eleição em que se elegeu. E secundariamente quando não dispõe de pessoas realmente gabaritadas para os cargos ou tem de fazer escolhas por interesses pessoais e políticos. Na falta de competentes no quadro governista, nomeia opositores ou apartidários.

É conhecida a relação do ministro da Fazenda com pessoas ligadas ao PSDB, tanto que o próprio Aécio Neves, do partido oposicionista, comentou que a nomeação de Joaquim Levy para o cargo constituiu estelionato eleitoral.

A presidente Dilma não quer arriscar que se adotem políticas econômicas fora das que se consubstanciem na liberdade de mercado. Há alguém assim em seus quadros?

O Ministério das Cidades está ocupado por Gilberto Kassab, ex-prefeito de São Paulo. Tendo pertencido ao DEM, de oposição (pelo qual se elegeu prefeito), fundou o PSD, Partido Social Democrático, ressuscitando o velho nome do grande partido da Política brasileira antes das transformações políticas verificadas depois de março de 1964.

Na eleição recente, alcançou bom resultado, até no acesso ao legislativo nacional. É estranho que um presidente de um partido, inicialmente fora dos quadros do governo, agora dentro, ocupe um ministério tão cobiçado. Sabe-se que deseja ter influência sobre o DENATRAN. Tem a feroz iniciativa de arregimentar congressistas e outros políticos descontentes, para se uniram em torno de um novo partido, incluindo o dele mesmo (o DEM reage).

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Política Opinião

É clara a sua intenção de criar 4 eixos fora do PT e PMDB, em vez de 2 (PT e um "manco" (PMDB é o manco, segundo seu grupo), para aumentar o poder de fogo do governo Dilma em atuação no Congresso. Há quem explique que o PMDB espera vingar-se na eleição da presidência da Câmara. O ministro não porá, no cargo, sua habilidade e força de desorganizar partidos em ação? "Ministro da Desorganização Partidária (MDP)".

Sede de poder tem limites...

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, diz que os médicos cubanos não ganham nem mais nem menos, ganham diferente. Sim, é verdade. Ganham uma parte bem menor que o patrão explorador, que é o Governo cubano. É assim mesmo: ganham diferente...

O ministro Eduardo Braga, das Minas e Energia, garante que Graça Foster continua na presidência da Petrobras, mesmo que haja suspeita.

E vai combater a corrupção na Petrobras. Agora? E antes, não?

E o Cerveró diz, para O Globo, que o Conselho de Administração da Petrobras cometeu falta grave ao aprovar a compra da Refinaria de Pasadena. Que falta? Desrespeitou, entre outras, normas internas. Quem do conselho responderá pelo enorme prejuízo? Alguém sabe?

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo