Alguém alhures inventou que diamantes e amor são a mesma coisa. Más línguas dizem que diamantes apenas são diamantes por causa da propaganda. O valor da pedra depende diretamente de uma antiga lei do mercado: a lei da oferta e da procura. Se ninguém mais procurar diamantes, eles nada mais valerão. 

Já faz muito tempo que eles foram descobertos. Já se vão mais de 2 mil e oitocentos anos. Quem não lembra das aventuras de Alexandre o Grande, do marinheiro Sinbad e outros.

Elas sempre giravam em torno de histórias fantásticas. Eles faziam parte integrante da carga dos comerciantes orientais em direção ao ocidente.

As técnicas de corte, de polimento e incrustação em verdadeiras obras de arte tornaram o que antigamente era uma pedra suja em pedras deslumbrantes. Eles passaram a dar beleza para as coroas que enfeitavam a fronte de belas princesas e rainhas. A sua associação ao amor apenas aumentou a demanda que não para de crescer.

A descoberta da estrela da África do Sul (diamante de 83 quilates) desencadeou uma corrida ao ouro responsável pela submissão deste país à colonização.

No meio desta procura surgiu o Big Hole, considerada a maior mina de diamantes. A guerra pela posse da África começou quando todos imaginaram que a cada passo seria possível topar com algum diamante aflorado da terra. O valor dos diamantes sempre esteve relacionado com a escassez e a demanda.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Curiosidades

Houve época em que a violência do mercado provocou perda da demanda e o barateamento a ponto dele ter sido considerado pedra semipreciosa.

Entre altos e baixos, os diamantes sobreviveram. Com o tempo ele recuperou seu encanto e alto custo. Com a demanda e oferta criadas artificialmente pelas grandes mineradoras, que hoje são poucas e conseguem estabelecer um quase monopólio, o elevado preço está garantido e também o encantamento de quem recebe tal honraria.

Filmes, revistas e propagandas criaram a imagem que os diamantes são eternos (Ian Fleming já pensava assim) e toda uma ilusão que os equipara ao amor. Quanto maior e mais caro o diamante, maior o amor. 

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo