A ação desesperada do governador do Paraná Beto Richa (PSDB) para conter a manifestação dos professores em 29 de Abril de 2015 criou manifestações contrárias de várias entidades não governamentais, entre elas a Associação de Juízes para a Democracia (AJD), da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e da Comissão de Direitos Humanos (CDH). Todas sãoo unânimes em condenar a desastrosa atitude do executivo do Estado do Paraná, classificando o episódio de covarde, truculento, ilegal e violento.

Segundo o presidente do Conselho Executivo da Associação de Juízes para a Democracia, Dr.

André Augusto Salvador Bezerra, em nota divulgada no viomundo: A ação que impediu servidores públicos de se manifestar como prevê a Constituição Federal é idêntica ao que ocorria sob a égide da ditadura militar que vigorou após golpe de 1964. Lamentáveis os fatos ocorridos na cidade de Curitiba. As forças policiais, por dever Constitucional de ofício, assegura a realização de manifestações pública e o Governo de dialogar com a sociedade civil, não sendo balas de borracha ou bombas de efeito moral que produzirá respostas legítimas para a discordância.

Direito de greve está previsto nos artigos 5º, incisos IV, XVI e 9º da Constituição Federal de 1988. O diálogo objetivando a efetivação de direitos são respostas legítima sob a égide democrática. A leitura completa está divulgada no viomundo.

Após reunião da senadora Gleisi Hoffmann do PT-PR com a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa no dia 6 de Maio de 2015, o comandante da PM do Paraná pediu exoneração do cargo.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo

A senadora afirma que "O que se viu lá não foi normal, o excesso desastroso da polícia militar sob a responsabilidade do governador, uma Violência descomunal, desproporcional e de massacre".

Enio Verri, deputado federal e presidente do Diretório Regional do Paraná reuniu-se com membros e divulgou no seu blog: O PT do Paraná exige que sejam investigadas as responsabilidades do governador, do Secretário de Segurança Pública, do comando da Polícia Militar e do presidente da Assembléia Legislativa, deputado Ademar Traiano (PSDB), no massacre que deixou mais de 200 professores, servidores e estudantes feridos.

O Paraná não aceita que profissionais sejam tratados com truculência pela PM, com uso indiscriminado da violência. É preciso apurar de onde partiu a ordem para a ação covarde e punir os responsáveis. O PT manifesta solidariedade aos educadores que se levantaram contra o autoritarismo, tirania do governo e reitera o apoio incondicional à luta dos trabalhadores.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo