De repente só ouvimos falar dela, a Presidente Dilma. Só existe este assunto em todos os lugares, de postos de gasolina aos virais das redes sociais. Então, permanece a pergunta: O sistema impôs essa reação em cadeia ou nós estamos vivendo toda essa manipulação da massa e da imprensa nacional, como é descrito no livro 1984 do escritor George Orwell, publicado em 1949? 

Globalização Digital? 

Na época do livro citado não existiam telefones celulares, o zap zap, também conhecido como Whatsapp, e muito menos o Facebook ou Instagram.

Comparação entre o herói do livro Winston e o povo brasileiro "moderninho" de hoje, capazes de se organizar para protestos por meio das redes sociais. A sociedade vívida pelo personagem principal do livro vive cercada de câmeras como se estivesse no reality show de uma edição longa e permanente do Big Brother.

Algumas das idéias expostas no livro foram utilizados na criação do reality e copiados em inúmeros outros projetos pelo mundo afora, e as pessoas gostaram dessa ideia de serem vistas e vigiadas.

Uma das receitas de maior sucesso das mídias, de alguns setores de comunicação e programas televisivos, permanece o manejamento do consumismo, do que é a moda estipulada por eles e a facilidade com que conseguem impor ao público todo esse potencial catastrófico capitalista do consumo e da falta de ideologia e pensamento individual. 

O individuo passou a ser comandado pelo que está no ibope, no top mais dos compartilhamentos, no que um amigo ou grupo do face curtiu, comentou e compartilhou.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Relacionamento Corrupção

Os neurônios se foram, restaram apenas o populismo, ou seja, quem controla o presente controla o passado. 

Liberdade, manifestações ou protestos? 

Deixo o pensamento consciente de quem vê com outros olhos essa disfunção estranha em que vivemos. Seguimos de mãos atadas, mesmo sabendo o que deveríamos fazer para resolver essa bagunça em que fomos obrigados a engolir junto dos enlatados das nove às seis, mas é considerado meio maluco quem age diferente ou não concorda com todo mundo.

Mas aí entra outro poeta, que poderíamos mudar o hino nacional por uma de suas músicas mais fáceis de cantar e lembrar. "Que País é Esse?" ou "Perfeição". Na atual situação, misturo as duas e tenho dito. 

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo