O Partido do Trabalhadores (PT) está se articulando para ingressar o ex-presidente Luiz Inácio da Silva (Lula) como ministro das relações exteriores.

Se acompanharmos sua trajetória como presidente, essa seria uma inclusão lógica para o PT; pena que esse parece ser um "golpe" para escapar do julgamento do juiz Sérgio Moro.

Como ministro, ele somente poderia ser julgado pelo Superior Tribunal Federal (STF); obviamente, isso não vai acontecer.

Mas, se Lula for empossado do cargo, como isso poderia ser “um tiro no próprio pé”?

  1. Se ele se envolver diretamente com a administração Dilma, ele será diretamente envolvido nos fracassos da atual gestão; seja pela população, ou por seus opositores; isso pode lhe custar à eleição em 2018.
  2. Mesmo que não seja o Sergio Moro que o julgue; ainda tem a oposição, que vai fazer de tudo para que ele seja julgado; mesmo que seja pelo STF.
  3. Ainda que, não seja condenado; sua reputação será abalada.
  4. A possibilidade de impeachment é muito grande; se ele for empossado do cargo, ele pode cair junto.

Se o PT realmente empossá-lo, ele pode “escapar” de um julgamento; mas a que preço?

Com essa manobra, o PT pretende usar seu “trunfo” para reforçar a gestão Dilma e conquistar o apoio popular novamente.

Não sei quem propôs essa ideia “brilhante”, mas com certeza, não avaliou os contras, de expor sua carta “coringa” para salvar a atual gestão.

Há também o outro lado da moeda; se a presidente conseguir reverter a atual situação, fazer o país gerar renda novamente, frear o avanço do dólar, estabilizar a moeda, e gerar empregos; o quadro de insatisfação poderia se reverter em seu favor.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Política PT

Mas quanto tempo ela tem?

As manifestações marcadas para o dia 16 de agosto de 2015 podemdecidir seu futuro na presidência da república (já que a propaganda veiculada no dia 08/06/2015 não deu certo); o descontentamento da população, mais a reprovação das contas do governo (pedaladas fiscais), seriam suficientes para um impeachment nos moldes da lei.

Trocando em miúdos, é praticamente impossível ela reverter a atual situação do governo, em um espaço de tempo tão estreito.

Confira também:

https://br.blastingnews.com/politica/2015/08/lula-podera-ser-o-novo-ministro-de-dilma-rousseff-00507733.html

http://br.blastingnews.com/politica/2015/08/lula-recusa-ser-ministro-e-evita-ficar-perto-de-dilma-para-nao-arranhar-imagem-00509487.html

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo