Assaltos em pleno dia, arrastões, assassinatos e racismo. É inadmissível ver tantos crimes em que os algozes não pagam pelo que fizeram.As mulheressão as que mais sofrem com abusos sexuais, agressões físicas, dentre outros crimes. O tema da redação do Enem abordou em cheio um dos principais problemas na sociedade, a persistência da violência contra mulher.

Esse tema fez com que milhares de pessoas refletissem sobre essa questão, e de uma certa forma tentar se conscientizar que esse problema não é apenas das mulheres.

O tema da redação também geroubastante comentários machistas nas redes sociais.Revoltosos criticaram o tema, afirmando ser feminista, que mulheres devem cuidar da casa.

Todo esse evento mostrou que o país carece de tolerância, respeito e principalmente, leis eficazes. Além da aprovação do projeto de lei 5069, a câmara quer ir além, só será considerado estupro se o agressor preencher um atestado afirmando ter cometido o crime.

Leis que protegem o agressor

Nos noticiários de televisão, todos os dias ver-se crimes que ficam impunes, principalmente aqueles crimes cometidos por menores, esses que matam, roubam e se tornam líderes de tráfico, além de pessoas que atropelam e matam por que estavam embriagados, fogem do local do crime e depoisaparecem no outro dia na delegacia com seus advogados para pagar fiança, e vivem suas vidas como que nada tivesse acontecido, dentre muitos outros crimes.

Para o Brasil se tornar uma nação em que mulheres possam viver em paz, e os crimes serem severamente punidos, é necessário muito mais que reformular as leis, é necessário ser investido muito mais na Educação! Se a sociedade continuar achando que a mulher só deve cuidar da casa, que a sua roupa diz sobre seu caráter, se o menor que matou não sofrer punições, a tendência é piorar cada vez mais.

É um absurdo agredir uma pessoa por seu gênero, sua cor,sua religião. Quando as escolas puderem ensinar a respeitar, abordando temas como igualdade de gêneros e religião, quem sabe assim essa nação se torne igualitária.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Educação Opinião

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo