Mais interessante que analisar o interesse das pessoaspelo Big Brother Brasil é analisar o ódio que o programa desperta em alguns. Porque será que o BBB desperta tanta paixão em seus inimigos?! A TV aberta no Brasil apresenta vários programas ruins, vazios, nada culturais. Então porque apenas o BBB recebe tantas críticas?

É muito difícil ver pessoas lindas, atraentes e alegres tomando sol e banho de piscina, descansando, malhando, brincando e curtindo festas numa casa luxuosa, enquantose trabalha muito, se estressa e se desgasta.

É muito difícil ver pessoas que não prestam nenhum serviço relevante se tornarem famosas, enquanto sepermanece no anonimato. É muito difícil ver pessoas ganhando prêmios e grandes quantias em dinheiro, enquanto seganha pouco. É muito difícil ver pessoas se divertindo embaixo do edredon enquanto muitas vezes falta parceiros para tal, mesmo se estando casado. É muito difícil ver desconhecidos se tornarem amados e desejados, enquanto sepassa despercebido e às vezes ignorado por aqueles com quem convive, até mesmo da família.

Mas aprendemos que devemos carregar a nossa cruz, que nada é por acaso, que Deus sabe o que faz, e que devemos nos contentar com pouco, pois a verdadeira vida é a espiritual, afinal estamos aqui de passagem. E assim as pessoas passam, negando seus desejos reprimidos e invejando aqueles que os realizam. Vivemos divididos entre a crença numa razão superior paraas coisas serem como sãoe o desejo de transformarmos a realidade, entre a aceitação e a busca da realização de nossos sonhos, entre a espera da felicidade na vida futura e sua conquista no presente.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
BBB Big Brother Brasil Relacionamento

A cultura católica X a cultura protestante

Os brasileiros são muito mal resolvidos com relação à vaidade e ao dinheiro, o que resulta em diversos preconceitos e pudores. Por um lado, nossa cultura latina, greco-cristã, católica, muitoinfluenciada pelo ascetismo e idealismo platônicos, historicamente nos oferece a simplicidade e a pobreza como modelos a serem seguidos, juntamente com o sofrimento, o sacrifício, a resignação e a esperança da felicidade na vida futura.

Entretanto, por outro lado, os valores pragmatistas do capitalismo, desenvolvidos e difundidos especialmente pelos EUA, país de cultura protestante / germânica, pregam o oposto: a realização, o bem-estar, o prazer, o sucesso e a conquista da felicidade nesta vida. Aí estão as raízes do conflito, que infelizmente, não emergiu do nível inconsciente, mas se manifesta no Comportamento das pessoas.

Razão X Emoção

Os brasileiros precisam ser menos passionais e mais racionais.É muito fácil se deixar levar por argumentos superficiais e pseudo-intelectuais criados por terceiros e que aparentemente justificam os próprios sentimentos.

Racionalizar as emoções negativas e identificar suas verdadeiras causas seriam atitudes de umHomo sapiensde fato. Infelizmente, psicólogos, filósofos e pensadores, que poderiam analisar este grande experimento de comportamento humano e ajudar a trazer luz às sombras (conceito Junguiano) do ser humano, muitas vezes acabam por difundir e reforçar preconceitos culturais, como a aversão ao BBB, já que eles mesmos não resolveram e às vezes nem reconheceram seus conflitos internos.

Enfim, o BBB é o perfeito bode expiatório para o conflito íntimo gerado por toda esta repressão, contradição e negação, até porque criticar o programa pode soar cult, coisa de intelectual. Mas esta aversão ao programa por parte de alguns, cheia de paixão, mostra o quanto as pessoas estão insatisfeitas com as próprias vidas e realidades. Mas em vez de o Homo sapiensmanifestar sua sapiência e analisar sua vida e o mundo, buscar a origem de problemas e sentimentos e pensar em possíveis soluções, émais fácil sacrificar o bode da vez em vez de olhar para si. É mais fácil "seguir a natureza" e as forças sócio-culturais que moldaram nossos comportamentos e opiniões em vez de questionar. Questionar o questionamento então, que seria o caso, nem passa pela cabeça.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo