O rápido aumento do número de ciclistas mortos na cidade de Florianópolis - especialmente desde dezembro de 2015 para cá, por motoristas embriagados - fez com que ciclistas e cidadãos florianopolitanos fizessem uma breve reflexão sobre a causa e a atual situação, além de aqueles, efetuarem uma manifestação inédita e emergencial na Rodovia SC-401 em janeiro (29), via de tráfego mais crítica e local onde se concentra 90% das doze mortes de ciclistas nos últimos anos.

Como de costume, é afixado uma bicicleta branca (ghost bike) no local de cada um dos acidentes, em homenagem ao amigo e como protesto por algo estúpido e brutal que poderia ser evitado com medidas básicas de prevenção em segurança se ambos os governos agissem juntos em prol da população. O curioso é que a maioria delas estão próximas umas das outras, o que nitidamente significa um trecho mais perigoso.

A manifestação também representou mudanças necessárias em planejamento.

Desde dezembro (27) houve, um trágico acidente com morte na SC-401 - um ciclista foi atingido sofrendo ferimentos graves e levado ao hospital e o outro, o empresário Roger Bittencourt, morreu ao ser atingido por trás por uma Parati preta com placas de Florianópolis -, um motorista embriagado e alcoolizado dirigiaenquanto Roger pedalava na cicloviapróximo a Jurerê; em janeiro (24), uma ciclista é atropelada e morta na mesma rodovia, em um trecho anterior ao qual vitimou Roger: Simoni Bridi , 28 anos, trabalhadora e mãe de uma filha pequena.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Relacionamento

Simoni retornava do trabalho no bairro Cachoeira do Bom Jesus, com sua bicicleta elétrica, quando um carro invadiu o acostamento e a atingiu na altura do trevo de Canasvieiras. O curioso foi que a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), diz não ter sido chamada, nem recebido comunicado algum da ocorrência, a placa indicativa de dias sem mortes na rodovia seguia desatualizada há dias atrás. A Polícia Civil é a responsável agora e está atrás do autor do crime.

Nos 2 acidentes, os motoristas responsáveis fugiram sem prestar socorro e encontram-se foragidos.

Diante destes e de tantos outros no mesmo ano, ciclistas resolveram protestar frente ao Centro Administrativo do Estado, fixando cartazes no gramado e um varal-cartaz com mais de 300 bicicletas representando o repúdio à tantas mortes e o profundo desejo pelo fim das mortes de ciclistas e transeuntes. A manifestação ocorreu em janeiro (29) à Avenida Beira Mar Norte no Quiosque Koxixo's, onde ciclistas da ilha e do continente iniciaram juntos a pedalada até o Governo.

Lá, os ciclistas fecharam os dois lados da rodovia colocando suas bicicletas deitadas na mesma e iniciando os trabalhos programados. Durante a manifestação, o líder do grupo entoou palavras de ordem e fez um breve discurso para os governantes sobre os desejos e propostas dos ciclistas para uma rodovia e uma cidade mais limpa, estruturada, humana, organizada e segura.

A ocorrência das fatalidades em sequencia, fez com que governos estadual e municipal, ciclistas e cidadãos refletissem: o que está acontecendo com a bela Florianópolis Ilha da Magia?

Porque a cidade está um caos, sem fiscalização alguma no trânsito, sem segurança para pedestres, ciclistas e motoristas? Porque cada vez mais, cada ano morrem cidadãos, principalmente na SC-401? Porque não há infraestrutura adequada na rodovia para abrigar a todos, não há planejamento e engenharia viáriapara implantar um sistema atual, não há efetivo suficiente de policiais para fiscalizar a cidade, não há lei seca à noite nos pontos-chave, nas casas noturnas e principalmente, não há educação dos motoristas para com os pedestres e ciclistas que também utilizam a via. Se todos compartilharem a via e se respeitarem, conseguirão ir e vir o tempo todo em segurança e em paz. Porém, não se pode omitir aqui a responsabilidade dos governantes em devolver aos cidadãos uma rodovia com qualidade e toda a infra-estrutura necessária. Eles apenasassistem de camarote às mortes trágicas e famílias dizimadas.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo