“Feliz do país que tem um Chico Buarque”, disse Jô Soares no seu talkshow para defender o cantor e compositor das ofensas que sofreu ao sair de um restaurante no Rio. Certamente a frase fazia alusão a uma suposta atitude heroica de Chico durante a ditadura militar, ao seu exílio voluntário na Itália e às músicas que fez em nome de personagens fictícios para enganar a censura, como se dizia na época. Sendo verdade ou não, pouco importa. Em outras palavras, Jô insinuou que o Brasil é feliz por ter um “herói” como Chico Buarque.

Jô – mais que um humorista, criador de personagens impagáveis da TV – é um intelectual respeitado. Seuconhecimento sobre dramaturgia deve serinfinitamente maior do que o da maioria das pessoas. Por isso mesmo, a frase que abre esse textopoderia tê-lo feito lembrardeuma passagem da peça Galileu Galilei, de Berthold Brecht (um autor de esquerda). Teria o emocionado Jô, ao defender os artistas, se lembrado do dramaturgo alemão? Provavelmentenão. Caso lembrasse saberia, como inteligente que é, que um país feliz não precisa de heróis, como bem observou o personagem Andrea quando Galileu lamentou a falta de heróis no país.

Pode-se argumentar que o apresentador das madrugadas da TV Globo referia-se ao período da ditadura e que o país não era feliz naquela época em que o alegado heroísmo de Chico se fez presente. Mas, mesmo assim, porque hoje o artista deve continuar sendo considerado um herói, se a situação por ele defendida não tem feito o país feliz?Por que seria o país feliz se o povo sofre com o desequilíbrio econômico, a falta de hospitais, a falta de segurança?

Ou Jô acredita que o país está feliz? Um país, para ser feliz, precisa de saúde, educação, alimentação, segurança. Precisa de bem-estar. No que chamou de desbafo, Jô defendeu também o ator José de Abreu, mas não foi ao ponto de citar as cusparadas que este deferiu contra os que ofendiam.

Lei Rouanet

Jô defendeu também a Lei Rouanet, de incentivo a cultura. Disse que as pessoas fazem confusão porque não são os artistas que recebem os benefícios da lei, mas os produtores dos espetáculos.

Não é mentira, mas artistas também podem produzir os seus shows, espetáculos etc, em seu nome ou no de uma empresa que faz a produção.

E assim segue a guerra de informação e contrainformação em que está mergulhado o país. Enquanto isso, as pessoas comuns enfrentam o seu dia a dia difícil, a inflação, os hospitais e estradas fechadas. Merecendo isso ou não.

Siga a página Lula
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!