Ainda bem que não há, até o que consta, nenhum desavisado sonhador quetenha postado uma hastag 'não vai ter olimpíada', como teve o 'não vai ter copa'. É utópico demais acreditar que uma simples, mísera hastag destrua um evento planejado há anos, extremamente lucrativo para quem o promoveu. No máximo, pode soltar uma urucubaca medonha, uma onda de azar que faça tudo dar errado; o que não aconteceu com a Copa, ao menos enquanto ocorria o evento - não esqueça o manto de corrupção levantado pouco depois.

Cabe às autoridades competentes acreditar em absoluta, imanente e indiscutivelmente tudo. Tudo mesmo. Desde manifestações e obras desabando (o que é criticamente provável que aconteça) ao suicídio de algum louco do Estado Islâmico, que eventualmente possa matar alguns estrangeiros que se perguntarão: "aqui também?" (o que não é muito crível).

O fato é que estamos minimizando os eventos de agosto. Não que tenhamos valorizado a Copa, o Pan, a JMJ e tantas outras coisas muito antes que acontecessem, mas sim, apenas na hora e vez em que ocorrem.

Ao abandonar o pessimismo, intuímos que há grande probabilidade de tudo dar certo, de tudo ser lindo. Não perfeito, pois não há nada perfeito no Brasil - quem sabe no futuro. Se bem que a realidade atual estábem longe do futuro que sonhavam os políticos que nos redemocratizaram. Bem longe mesmo.

É justo que a justificativa seja o fato de se ter mais coisas a se preocupar, pelo menos agora. Seja com o emprego perdido, a saúde travada num hospital falido e tantos outros problemas nunca sanados, já de domínio público - registre-se que, se é de domínio público, nunca se resolveu: da traição de Capitu à violência, culpa do Estado.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo Opinião

Mas é de eventos catastróficos que artistas também tiram inspiração. Cada um defina o que acha - bizarro ou divertido - imaginar um cenário de filme como 2012, ano que encerrou o fatídico calendário Maia (será que é por isso que de 2012 pra cá tudo vem acontecendo fora dos padrões comuns? fica a teoria de conspiração) Um desastre que faça as Forças Armadas bloquearem os sinais de celulares, que seja pouco o contingente de oitenta mil policiais para a segurança do Rio, e similares.

Desastre mesmo é saber que tudo isso vai passar e as coisas ficarão exatamente como estão, ao menos por um longo (e tenebroso) tempo.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo