O recente caso de estupro coletivo chocou o Brasil. A questão do estupro passou a ser discutida por políticos e personagens midiáticos conservadores. Estas pessoas voltaram a defender propostas radicais, como pena de morte e castração química no caso desses crimes, colocando-se como porta-vozes das vítimas e dos cidadãos que buscam justiça.

O discurso radical muitas vezes acaba agradando a população, ainda mais em momentos como este.

Publicidade
Publicidade

Através do emocional abalado da população, os políticos oportunistas e demagogos encontram uma forma de aumentar seus eleitores, explorando os discursos descritos no parágrafo anterior. No entanto, algo que a população não sabe é que esses políticos de fato defendem leis e projetos que prejudicam todas as mulheres, principalmente aquelas que passaram por traumáticos casos de estupros e abusos.

A PL 6055/2013, que tem entre seus autores a dupla Feliciano e Jair Bolsonaro, ambos do PSC (Partido Social Cristão), revoga a lei nº 12.845 que “dispõe sobre o atendimento obrigatório e integral, às pessoas vítimas de violência sexual”.

Publicidade

Outro tema que está em debate e é defendido pelos políticos ditos conservadores é o Estatuto do Nascituro. Este Estatuto impossibilitaria a mulher de interromper a gravidez até mesmo em caso de estupro. Caso a mulher conseguisse fazer a interrupção, a mesma deveria ser encarcerada. Além disso, o Estatuto garantiria o direito à paternidade ao estuprador.

Em 2015, passou pela CCJ da Câmara um projeto de autoria de Eduardo Cunha (PMDB) muito questionado, o texto é escrito de uma maneira que dá margem para que a pílula do dia seguinte seja proibida.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Opinião

Como se vê, aqueles políticos conservadores que batem no peito, gritam que defendem a mulher, pedem pena de morte para estupradores, são apenas oportunistas sedentos por votos. Enquanto aparecem na televisão gritando contra o estupro por de trás de seus gabinetes apoiam leis e projetos que prejudicam as vítimas e as mulheres de todo Brasil. Não vamos nos deixar a enganar por discursos inflamados em momentos de comoção nacional.

Vamos buscar conhecer quem são esses personagens e o que de fato eles representam.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo