Diante de um momento de extrema instabilidade econômica e política pelo qual o Brasil atravessa; diante do show de horrores interpretado nos últimos dias pelos deputados ricos de diversos partidos políticos em Brasília; frente a um grupo de pessoas que publicamente fazem as suas necessidades fisiológicas em fotos de “inimigos” políticos, uma jovem de 24 anos comprovou de forma amorosa e simples, de como uma alma humana agradecida é capaz de produzir gestos e belezas inigualáveis.

Kauany Sousa é natural da cidade de Mossoró, no Estado do Rio Grande do Norte, nordeste brasileiro. Mas o que a moça fez de tão especial que conseguiu comover a opinião pública nacional e até internacional no vídeo gravado da mesma, que começa a se tornar viral na rede? No momento em que a mesma estava recebendo a sua colação de grau na formatura, ela de forma espontânea, levanta para todos verem, o instrumento agrícola, que é uma enxada. Situação essa repleta de gestos, pessoas e objeto altamente simbólicos!

Era a formatura no curso de Serviço Social da UnP - Universidade Potiguarda jovem Kauanyn e essa foi a forma singular que a mesma encontrou de manifestar o agradecimento aos seus pais humildes pelo extremo esforço e dedicação deles em trabalhar na roça, anos a fio, para assegurar a alimentação e sustento em geral da moça e mais 3 outros filhos, irmãos de Kauany.

A homenagem em sim, rapidamente emocionou de modo positivo não só as pessoas que se faziam presentes na cerimônia de formatura como também, centenas de milhares de internautas que viram o vídeo do acontecido nas redes sociais.

O fato ocorreu no dia 09 de abril, sábado, tanto é assim, que logo depois do evento, a moça fez questão de frisar literalmente o seguinte: “eu lembro do meu pai saindo todos os dias para trabalhar, como ele faz até hoje.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Relacionamento Negócios

Trabalhar na roça, para dar sustento para mim e mais 3 irmãos. Desde o início, foi sempre assim. A lembrança que eu tenho é de ver ele sair de casa para trabalhar”.

Em entrevista para o canal UERN TV, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Kauany explicou ainda que o ganho de Nilson Pereira, o seu pai, não ultrapassava os R$ 20,00 semanais e por causa de tamanha dificuldade econômica, todos na Família tinham sérias restrições até mesmo para se alimentar diariamente.

A mãe da moça nordestina pensava como conseguiria naquele dia um prato de comida para os filhos e ficava extremamente feliz e agradecida a Deus, quando uma alma bondosa, na pessoa de um vizinho doava alimentos para a família.

A sede da busca do saber de Kauany se manifestou quando ela era uma garotinha no Sítio Caraúba Torta, em Almino Afonso, município potiguar, pois foi ali que ela iniciou o aprendizado da leitura e escrita sob uma árvore, no quintal da vizinha da família.

A título de curiosidade a garota do Rio Grande do Norte também ajudou no trabalho agrícola da roça frente a um sol forte junto com seus pais e os outros 3 irmãos. Nem tudo está perdido com a humanidade!

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo