Uma semana sem uma pérola da esquerda é pedir demais! E essa semana temos uma pérola de uma petista que saiu do fundo de um baú, graças ao Supremo.

Entendendo o caso

Em 2003,Maria do Rosário (PT-RS) e o deputado Jair Bolsonaro (na época do PP, hoje do PSC-RJ) discutiam no Salão Verde a redução da maioridade penal para um programa da RedeTV. Maria, como já era de se esperar, foi contra a redução e Jair a favor.

Maria então o acusou de ser estuprador, de ser o responsável por crimes como do caso Champinha, que havia ocorrido naquele mesmo ano. Maria defendeuque os menores que estupram e matam devem ser punidos de acordo com o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente),que na prática não pune ninguém.

Após tal acusação, Bolsonaro perguntou se ela o acusava de estuprador e ela confirmou e ele disse que não a estuprava porque ela não merecia.

Maria gritou! Maria se aproximou de Jair como se fosse agredi-lo e disse que é bom que ele não a estupre, pois senão ela lhe daria uma bofetada. Então Jair a empurrou, pois ela foi pra cima dele. A histeria da deputada continuoupor mais alguns instantes.

Os anos se passaram, novos embates surgiram e Maria do Rosário levou o terço para ser rezado no STF, que depois de anos o aceitou, estranhamente no momento em que o deputado cresce 'assustadoramente' em popularidade e os líderes petistas, Dilma e Lula estão prestes a afundarem de maneira irreversível.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia PT

Vale salientar que Jair Bolsonaro tem, desde 2013, um projeto que torna mais rígida as penas para estupradores e ainda prevê a castração química voluntária como requisito para o preso que queira progredir a pena e graças ao defensores de bandidos e aliados do antigo governo, o projeto de lei nunca entra em votação. Maria e toda a esquerda são contra esse projeto!

Todo mundo entendeuo queBolsonaroquis dizer e percebeu que a situação não tem a ver com incitação ou apologia ao estupro, mas...

ah, assista ao vídeoabaixo e entenda por si só!

Só pra lembrar

Para quem não se recorda quem é o menor infrator que 'não sabia o que estava fazendo' e que estava no centro da discussão que gerou essa confusão, se trata do mesmo cidadão que, conscientemente, assassinou o jovem Felipe Caffé, de dezenove anos e ficou por três dias estuprando e torturando a namorada do rapaz, Liana Friedenbach, de dezesseis anos, a executando em seguida com golpes de faca.

Champinha, a 'vítima' da sociedade de Rosário e cia, tinha só dezesseis anos e sozinho destruiu duas vidas e acabou com duas famílias que há treze anos foram marcadas para sempre com a perda do casal.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo