No meio do caos político em que o Brasil se encontra, movimentos de todos os tipos são descobertos. Há quem queira os militares de volta e até quem acredite que o retorno da família real é a solução para a situação. “Na realidade, o sistema que foi implantado no país é totalmente distorcido, ele é destrutível”, disse Carmelo Mucio, chanceler do Círculo Monárquico Brasileiro, uma das muitas organizações monarquistas do país.

O movimento prega que o Brasil deveria restaurar o sistema de monarquia parlamentar, extinto desde a Proclamação da República - que membros do movimento chamam de golpe republicano.

Por enquanto, o movimento monarquista brasileiro não é unificado, cada grupo é uma associação diferente, o que deixa difícil estimar quantos brasileiros realmente o apoiam. Recentemente, membros do movimento têm ganhado maior atenção do público ao participar de protestos contra o Governo Dilma.

O Círculo Monárquico Brasileiro, segundo Carmelo Mucio, é uma entidade que tem como objetivo informar o público sobre a monarquia. No momento, os membros do círculo não têm o objetivo de instaurar um governo monarquista no país e julgam que o primeiro passo é distribuir informação.

“Não existe sistema infalível, o que acontece é que a monarquia é propensa a menos corrupção”, disse Carmelo Múcio, comparando as vantagens entre os sistemas de governo. O argumento do chanceler é que num sistema monárquico, a função que o atual presidente ocupa seria dividida entre o imperador e o primeiro ministro.

Atualmente, a página do Círculo Monárquico Brasileiro no Facebook possui 11.520 curtidas. As opiniões de fora do movimento não concordam completamente com a superioridade da monarquia sobre a república.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Governo

Em resposta a uma enquete publicada nas redes sociais, que contou com 160 respostas, alunos do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas declararam-se completamente contra o movimento monárquico. “É só um jeito espertão de passar o parlamentarismo”, comentou Fernando Lima de Moraes, aluno da UNICAMP.

Mas para Carmelo Mucio, a rejeição à monarquia já é esperada. “Um plebiscito rápido é derrota (...) é possível que as pessoas sejam enganadas, ludibriadas e não escolham a monarquia como o melhor sistema político.” O que o movimento espera é que a longo prazo o povo brasileiro escolha a monarquia através da conscientização que está ocorrendo de maneira eficiente através da participação de membros do movimento nos protestos mais recentes.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo