A página no Facebook O Evangelho que Paulo Jamais Pregariafaz considerações sobre as práticas evangélicas atuais e afirma que muitas igrejas se desviaram do evangelho pregado por Jesus Cristo, justificando assim o fato de muitas pessoas estarem saindodas denominações religiosas, na busca de resgatar as práticas cristãs da Igreja primitiva.

Os motivos apresentados pelos administradores da página, deque as denominações evangélicas sedesviaram do verdadeiro cristianismo, são várias. Alegamque a institucionalização da igreja trouxe muitos malefícios para o "povo de Deus".

Um deles é que o templo não é mais cristão, mas as construções é que se tornaram divinizadas.

O pastor também teria deixadode servir para ser servido nos templos luxuosos, sendo considerado um ser especial que deve ser respeitado e nunca questionado. Ir ao templo seria uma obrigação, pois quem não frequenta os cultos está desviado, segundo os líderes. As reuniões que deveriam ter Jesus como centro, agora serviriampara espetáculos gospel, que incluiriam o comércio da fé.

Abaixo, a página listou 13 indícios do que considera um desvio do evangelho de Jesus:

Também teria ocorridoum resgate das práticas judaicas, com costumes das Leis de Moisés.

Os pastores deixaram de trabalhar para serem sustentados, oque não ocorria na igreja primitiva, onde os apóstolos trabalhavam dia e noite.

O costumejudaico de entregar o dízimo também foi inserido nas denominações evangélicas, porém reformulado. No Antigo Testamento, o ato incluíalevar 10% da colheita dos alimentos a cada 3 anos para os sacerdotes dividirem com os necessitados. Hoje o dízimo deve ser entregue todo mês, em dinheiro, sem ser repartido com ninguém, supostamente ficando apenas em posse dos líderes das igrejas.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Religião

Os templosmodernos também pregariam a "hierarquia espiritual", onde o fiel comum deve obedecer o pastor sem questionar. A página afirma que essa prática serve para coibir os irmãos, beneficiando assim possíveis práticas ilícitas cometidas pelos pregadores.

De acordo com a fanpage, as denominações religiosas colocam cada vez mais fardos na vida das pessoas, obrigando-as a seguirem regras inventadas por eles. Usaria-se, portanto, a Bíblia para justificar atos que muitas vezes não estão de acordo com os exemplos de Jesus Cristo.

Qual sua opinião sobre o assunto? Comente!

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo