O projeto de Lei Nº  070/2016, datado de 6 de julho de 2016, foi apresentado na Câmara Municipal de Petrolina pelo vereador e atual candidato à prefeitura, Edinaldo Lima. O texto causou alvoroço na população nesta última semana de julho, pois traz a seguinte redação: "Autoriza o Poder Executivo a instituir a Política Pública de controle, cuidados e proteção de #Animais, da responsabilidade da posse e de medidas preventivas de combate a zoonoses, e dá outras previdências".

Esse projeto é considerado de extrema crueldade, uma vez que algumas medidas consideradas importantes para o controle de zoonoses vão na contramão da tendência mundial, onde ativistas e simpatizantes da causa animal, lutam incansavelmente para coibir qualquer pratica que cause dor, sofrimento, maus tratos e abandono aos animais que cada vez mais são considerados, até mesmo no meio científico, como seres "sencientes", ou seja, que têm sentimentos, sentem fome, sede, frio, amor, e tristeza como cada um de nós.

O artigo 21 º do referido projeto trouxe ainda mais descontentamento e revolta por parte de ativistas dos direitos dos animais, protetores e simpatizantes da causa animal, ao estabelecer que "é proibido alimentar #Cães e gatos soltos em vias públicas, praças, prédios ou locais acessíveis ao público... sendo possível a identificação da pessoa que alimenta os animais no locais que trata o "caput", a mesma será multada em valor estabelecido pela prefeitura municipal".

A proposta apresentada pelo vereador é totalmente descabida e revoltante, pois o que se espera do Poder Público são leis que beneficiem os animais com o intuito de coibir crueldades contra os mesmos. Porém, esse projeto apresentado, caso seja aprovado pela Câmara, ao invés de proporcionar bem estar e direitos, vai trazer sofrimento e morte, uma vez que em outros artigos da lei, estabelece-se que a morte induzida é autorizada em até 72 horas para os animais apreendidos pelo centro de zoonoses que não forem resgatados ou adotados.

Os melhores vídeos do dia

Ou seja, ou são adotados ou mortos. #Crime