Eu navegava e trabalhavatranquilamente no meu sistema operacional, conectado à internet, quando vários sites travaram. Resolvi parar o meu trabalho e buscar outras notícias do mundo, pois aquele comportamento estava estranho. Foi quando descobri a seguinte notícia: hackers invadem uma das maiores agências de segurança mundial e derrubam vários sites. Bastou eu sair do meu modo de operação padrão para buscar algo de diferente, que eu percebi que algo estava errado. Ocorreu o maior ataque de hackers de toda a história mundial, considerado a primeira cyber Guerra mundial.

Um ataque massivo DDos aos Estados Unidos e outro ataque menor à Europa. E o que isso significa?

Significa que o ataque foi direcionado a apenas a uma empresa específica que hospeda nada mais nada menos que Spotiffy, Twitter e Netflix, três das principais empresas mundiais no ramo de Tecnologia e entretenimento.Para realizar o ataque oshackers invadem aparelhos domésticos e empresariais pelo mundo, tornando-os zumbis, de forma que os mesmos trabalhem para eles, redirecionando o ataque massivo para apenas um local, ocorrendo assim um entupimento de acessos, fazendo a conexão cair e causandopane nos servidores.

A empresanorte-americana atacada somente relatou que tudo já voltou ao normal e que foi um grande ataque.Outras fontes consideram a chance do ataque ter sido uma retaliação ao corte de internet de Julian Assange e até mesmo ao boato de que Julian Assangeestivesse morto. Eleestá de volta aos noticiários ao revelar até o momento centenas de e-mails comprometedores da candidata à Casa Branca, Hillary Clinton.

E por que nem eu nem você soubemos sobre essa notícia tão importante em menos tempo? Por causa de nosso vício embuscar a mesma coisa e o mesmo núcleo de informações. Você é informado pelo que busca, e somente por isso. Nada vai chegar a você sem que você faça uma busca mais segmentada. Cabe a nós sairmos desse vício para que consigamos nos informar por outras notícias e, com isso, enriqueçamos nosso vocabulário informacional.

Siga a página Tecnologia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!